25.3 C
Manaus
quarta-feira, maio 29, 2024

Confira como cada deputado federal do Amazonas votou sobre a Reforma Tributária

Dos oito parlamentares da bancada do Amazonas, apenas um votou contra

Por

O texto-base da reforma tributária foi aprovado na noite de quinta-feira (7) na Câmara dos Deputados pelo primeiro turno pelo placar de 382 a 118. Dos oito parlamentares da bancada do Amazonas, apenas um votou contra: o deputado federal capitão Alberto Neto (PL).

Ontem a reportagem do O Convergente procurou o deputado Alberto Neto que disse que iria votar a favor caso as particularidades da Zona Franca de Manaus fossem preservadas, o que aconteceu após articulação da bancada federal e do governador Wilson Lima (União) com o Governo Federal e relator do projeto na Câmara.

Nesta sexta-feira (8) a reportagem procurou o parlamentar novamente que se pronunciou por meio de uma nota dizendo que diz que tem compromisso com a Zona Franca de Manaus e que o texto apresentado não é a ideal para o povo brasileiro. Leia o a nota na íntegra:

A defesa da Zona Franca é, e sempre será minha prioridade. A importância do modelo para a região norte do país é inquestionável. Precisamos manter a competitividade desta matriz econômica que gera emprego e renda para o povo do Amazonas. Para tanto, apresentei emenda à PEC, que foi acatada e com isso alcançamos nosso maior objetivo que é preservar a ZFM.

Porém, diante a última versão apresentada, acredito que esta reforma ainda não é a ideal para o povo brasileiro. Não é possível concordar com a insegurança jurídica que oferece para o país. O texto precisa ser aperfeiçoado para que tenhamos uma análise justa que atenda efetivamente as necessidades econômicas do país.

A Reforma Tributária é fundamental, mas dentro de um contexto que torne o sistema mais simples e que não tenha elevação de tributos, que no final das contas será pago pela população brasileira. Esta proposta de reforma carece de segurança jurídica, de objetividade e clareza, se não apresenta sérios riscos de aumento de tributo para diversos setores.

Meu compromisso é com a preservação da Zona Franca de Manaus, que é imprescindível para o Amazonas, e no texto atual isso está assegurado e a ZFM será preservada. No entanto como parlamentar é preciso pensar em todos os brasileiros que seriam prejudicados e não podem pagar essa conta elevada que seria cobrada pelo governo do contribuinte brasileiro.

 

Bolsonaro pediu para deputados que o apoiam votarem contra o texto

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) expressou sua desaprovação em relação à reforma tributária. Na quarta-feira (5), ele pediu para que todos os congressistas que foram eleitos com o apoio do bolsonarismo a se oporem ao projeto do governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Através de uma declaração divulgada no Twitter por seu assessor, Fábio Wajngarten, Bolsonaro reiterou suas críticas a Lula e destacou os acontecimentos recentes envolvendo o ex-presidente, como seu discurso no Foro de São Paulo, no qual afirmou não se sentir ofendido ao ser chamado de comunista, bem como suas ações amistosas em relação à Nicarágua e a postura de oposição do PT nos últimos quatro anos.

“ESSE PARTIDO NÃO SE PREOCUPA COM POVO E COM A FAMÍLIA, NÃO RESPEITA A PROPRIEDADE PRIVADA, DEFENDE BANDIDOS, DESARMA O CIDADÃO DE BEM. APENAS DESEJA O PODER ABSOLUTO A QUALQUER PREÇO. NÃO PODEMOS APOIÁ-LOS EM NADA. NOS ROUBAR A LIBERDADE E NOS ESCRAVIZAR É SUA META”, AFIRMOU BOLSONARO.

Contudo Jair Bolsonaro intensificou às críticas ao projeto da reforma por causa dos ataques recentes de Lula. Na última terça-feira (4), por exemplo, o petista chamou o ex-presidente de “titica”.

Segundo o ex-presidente, caso ainda fosse deputado, votaria contra todos os projetos do PT. “A todos aqueles que se elegeram com nossas bandeiras de ‘Deus, Pátria, Família e Liberdade’, peço que votem contra a PEC da Reforma Tributária”, declarou.

Após a votação Lira informou a imprensa que conversou com o ex-presidente dizendo-lhe que o governado de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos). Ontem um vídeo foi divulgado mostrando um desentendimento entre Jair Bolsonaro e Tarcísio em uma reunião feita pelo PL com deputados federais. Nesta reunião que Bolsonaro disse para seu correligionários votarem contra a PEC.

Dos 99 deputados do PL, vinte votaram a favor da reforma e 75 contra. Outros quatro estavam ausentes. Bolsonaristas de outros partidos também ficaram divididos.

 

Confira a charge de O Convergente sobre a decisão de Alberto Neto

Leia mais: Assegurando a competitividade da ZFM, texto-base da Reforma Tributária é aprovado no primeiro turno

_

Texto: Hector Santana

Ilustração: Marcus Reis

 

 

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -