26.3 C
Manaus
terça-feira, abril 23, 2024

“Toda mulher forte tem uma história de vida que pode servir de exemplo”, diz Liliane Araújo ao falar sobre seus desafios pessoais e profissionais

Carreira no jornalismo, direito, política e experiências pessoais foram temas do ‘Erica Lima Conversa’, com a jornalista Liliane Araújo

Por

A jornalista, advogada e apresentadora do programa ‘A tarde na onda’, Liliane Araújo participou na última quinta-feira (13/4), do quadro “Erica Lima Conversa”, do Portal O Convergente. Na ocasião, a apresentadora que tem quase 20 anos de carreira no jornalismo, falou sobre o ambiente machista que encontrou no início.

“Ser jornalista aqui no Amazonas, no mundo é uma atividade muito desafiadora, porquê até então, quando eu iniciei era mais homens do que mulheres, em campo, na TV e eram assim as grandes redações, eram comandadas por homens, poucas mulheres nos cargos de chefia, foi um desafio”, relembrou Liliane.

“A apresentadora comentou sobre planos de escrever um livro, “desde que eu sai da Rede Amazônica em 2014, eu dei essa pausa de 8 anos para poder voltar pra televisão porque eu dizia que não ia voltar mais, mas o jornalismo tá na veia, aí eu falei assim quando eu sai, eu ainda tenho isso até hoje, eu tenho esse projeto alguns esboços é escrito até o tema do livro, me inspirei muito no Losekann que foi correspondente na rede amazônica, o tema desse meu livro que eu espero chegar a lançar será ‘Perólas da Tv Amazonas – os bastidores da Tv’, o que você não viu no ar, é mais ou menos isso, são muitas curiosidades.”

Direito – “O que mais me motivou a ter feito direito foi ter sido vítima de violência doméstica sabe? E depois passar por um divórcio muito turbulento onde eu tive que aprender na prática o que eu fui aprender na faculdade, no banco da faculdade, então isso me motivou muito;

Política – Muitas injustiças eu sofri na questão política, não sei se você lembra, mas a que mais me marcou foi na eleição pra Governo do Amazonas, nossa como eu fui injustiçada

Sobre admirar alguma mulher na política no Amazonas, Liliane falou, “tem poucas mulheres, mas infelizmente muito raro eu te dizer eu admiro, eu gosto um pouquinho do que uma faz; mas tem uma deputada que eu até admiro pela coragem dela que é a Alessandra, eu acho que ela é uma mulher forte, é uma mulher que tenta se posicionar né e eu acho que é importante, eu não tenho nada contra ninguém que tá aí, mas que tem uma postura que a gente precisa disso, mas infelizmente é uma né”

“A gente tem que ter um pouco mais de sororidade né, falar a mesma língua, então assim e isso muito me atrai quando uma mulher ela defende outra mulher e a gente precisa disso no meio político, olha só o tanto de violência política que a gente está acompanhando aí e por que? Porque a maioria é homem e vão predominando, há anos é assim” concluiu.

Sobre a possibilidade de concorrer novamente a um cargo político, comentou, “ eu acho que sempre vai existir porquê, porque a gente não pode desistir dos nossos sonhos né e eu sou uma mulher que não desisto; não vou desistir nunca de poder representar o povo do Amazonas seja no parlamento, seja no executivo, eu nunca vou desistir porque o meu preparo é contínuo”.

Experiências pessoais – Comentando sobre os desafios e batalha para conseguir ser aprovada no exame da Ordem em meios a percalços destacou, “ essa vitória é dedicada ao meu filho porque através dessa carteira eu vou poder fazer justiça pelos direitos que foram violados com relação ao meu filho quando você vai matricular a criança e tem essas negativas de escolas particulares que acham que a gente não conhece o nosso direito”.

Advogada criminalista – “é ali que você consegue ter na prática o senso de justiça a aplicação da lei sendo feita; a área que mais me encaixa é essa, é a que eu aprendi na prática do dia-a-dia tentando se defender, ai eu falei assim, não, é isso aqui, já imaginou em quantas situações a gente pode ser colocado e não se defender, pela injustiças que eu já passei e vejo hoje na sociedade e poder contribuir com uma sociedade um pouco mais justa, mais igualitária, tentar promover a justiça, foi aí que eu escolhi a parte criminalista”.

Liliane Araújo encerrou a entrevista declarando, “eu aprendi três coisinhas que fazem parte da vida de todo ser humano: 1ª coisa a gente precisa temer algum Deus, a gente precisa ter fé, uma religião, precisa trabalhar a nossa fé; 2ª coisa a gente precisa honrar os nossos pais e a 3ª amar ao próximo, quando você entender e compreender que isso faz parte da sua vida, cara, quantas portas vão se abrir”.

Acompanhe a entrevista na íntegra:

__

Por July Barbosa

Foto / Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -