31.3 C
Manaus
sexta-feira, julho 12, 2024

“Temos que tirar o rótulo de que as mulheres estão em segundo plano”, diz Yomara Lins no programa ‘Debate Político’

A vereadora de Manaus foi a convidada da semana da nova temporada do programa Debate Político, apresentado pela CEO da empresa Érica Lima

Por

No “Debate Político” dessa terça-feira (11), O Convergente recebeu a vereadora de Manaus e presidente do diretório municipal do Podemos, Yomara Lins, que falou sobre a sua atuação na Câmara municipal de Manaus (CMM) e fez comentários sobre o atual cenário político amazonense. A nova temporada do programa foi apresentado pela CEO da empresa Érica Lima e exibido pela TV Rede Onda Digital, através do canal 8.2, e pelo canal do Youtube da Rede Onda Digital.

Ao iniciar a entrevista, a parlamentar comentou sobre a presença feminina na Câmara Municipal de Manaus, uma vez que de 41 vereadores, há apenas 4 mulheres. “Somos 41 vereadores e apenas 4 mulheres. Mas, mesmo assim as mulheres estão lá para procurar seu espaço, debater, criar leis. Sempre falo que não queremos guerras contra os homens, mas só queremos ocupar os espaços como mulheres”, disse.

Yomara Lins destacou que tem incentivado mulheres a participar da política e a ocuparem esses espaços de direito. “Sempre estou incentivando as mulheres para que possam vir para a política, participarem, se envolverem, enfim, para que possamos colocar a política no destino das mulheres”, afirmou.

Além disso, a parlamentar ressaltou que as bandeiras que defende na CMM, além da feminina, também estão relacionadas com a família e crianças. “A minha bandeira é pela família, mulheres, crianças, mulheres em vulnerabilidade. Esses são meus focos em relação a projetos de leis, temos vários e não temos parado de fazer e minha meta é fazer projetos que possamos colocar em prática e que sejam úteis para a sociedade”, disse.

Política

Questionada pela apresentadora sobre o interesse de participar da política, Yomara Lins afirmou que decidiu se candidatar a um cargo público no pleito para conseguir atender às necessidades da população, uma vez que já realizava trabalhos.

“Como pastora, cuidamos de várias igrejas e recebo várias demandas, porque várias famílias me procuram. Como pastora, tinham situações que eu não conseguia resolver e então eu vi que tive que vir para vereança para resolver essas questões que como pastora eu não conseguia resolver”, esclareceu.

Ela ainda comentou da eleição que disputou, em 2020, e afirmou que o pleito naquele ano foi muito disputado, mas que apresentou propostas que conseguiram lhe garantir uma cadeira na CMM.

“Foi uma eleição no meio da pandemia, muito disputada, tínhamos vários candidatos. Já tínhamos um trabalho, uma proposta, e tudo aquilo que eu me dispus a fazer, tenho me esforçado para fazer […], sempre deixei muito claro o que a gente podia fazer como vereador e o que a gente não pode fazer”, disse.

Questões de saúde

No fim do ano passado, a vereadora precisou passar por um procedimento médico fora do Amazonas. Na ocasião, ela precisou se ausentar de uma votação importante, na época, o que ocasionou uma discussão entre os vereadores da Casa.

Ao falar sobre o assunto, a parlamentar pontuou que “não é fácil ser mulher”, mas que tudo ficou resolvido posteriormente.

“Ser mulher não é fácil, se fosse um homem, não teria sido tão cobrado […]. Vereador é ser humano, eu adoeço como qualquer um, tive um problema sério de vesícula e tive que tirar […]. Tive que passar por um procedimento, como estava tudo agendado para ir para São Paulo, já acabei fazendo por lá, foi um momento de muito estresse na política, mas deu tudo certo”, disse.

CPI

Ao comentar sobre as CPIs que foram instauradas na CMM, a vereadora iniciou afirmando que o trabalho de todos os vereadores sempre objetivam a melhoria da cidade de Manaus e a mesma tem se dedicado à isso.

Com relação às CPIs, a parlamentar disse que, tanto a questão da energia e da água, trouxeram melhorias para Manaus.

“Temos trabalhados da melhor forma possível, tivemos a CPI da Águas de Manaus, tiveram alguns benefícios, algumas taxas foram reduzidas e os benefícios chegaram à população. Da Energia, tivemos a relação dos medidores aéreos que não aceitávamos, algumas pessoas nos procuravam para reclamar”, pontuou.

Diretório do Podemos

Em maio deste ano, Yomara Lins foi empossada como presidente da Executiva Municipal do Podemos, pela presidente da sigla no Amazonas, deputada Alessandra Campelo. Ao falar sobre o assunto, ela destacou a representatividade feminina do partido, uma vez que possui três mulheres no comando.

“São três mulheres no comando e onde as mulheres estão à frente tem que ter ação, organização e atitude. Já fizemos uma ação com várias mulheres e vamos filiar, não só para essa eleição mas para incentivar a participarem da política porque entendemos que muitas das mulheres gostam da política, mas não tem oportunidade. Então, estamos buscando e incentivando para que elas possam se filiar no Podemos”, disse.

Dificuldades

Questionada pela apresentadora qual seria uma das maiores dificuldades em conseguir espaço na política sendo uma mulher, Yomara Lins pontuou o machismo. De acordo com ela, é preciso mudar a mentalidade de que as mulheres sempre são postas em segundo plano.

“A sociedade é machista, as mulheres são machistas. Muitas das vezes, quando vemos uma mulher na frente, olham e questionam […]. Temos que mudar essa mentalidade, as mulheres têm que provar que são capazes e temos que tirar esse rótulo que as mulheres estão em segundo plano”, comentou.

Ela ainda afirmou que quando uma mulher tem um posicionamento forte, é mal vista pela sociedade, mas quando o homem age da mesma maneira, é visto como uma autoridade. “Quando o homem fala grosso é porque ele é forte e tem autoridade. Quando a mulher fala alto, é porque ela está dando piti ou fazendo cena. Temos que mudar essa mentalidade e provar que as mulheres podem estar onde devem estar”, exemplificou.

A vereadora ainda afirmou que, na Câmara Municipal, buscar ter um bom convívio com todos os demais parlamentares e que possui uma boa relação com a bancada feminina da CMM. “Procuro sempre ter um bom convívio com todos. Tenho uma boa relação com todas elas e tentar fazer um bom trabalho para mostrar para aqueles que me colocaram lá que estou me dedicando”, disse.

Eleição

Sobre o cenário político que tem se formado para o pleito, Yomara Lins comentou sobre algumas pesquisas de intenções de voto. Em alguns apontamentos, o pré-candidato Amom Mandel (Cidadania) está na frente, mas a vereadora afirmou que é preciso relembrar que tudo pode mudar.

“Sabemos que as pesquisas são importantes, mas a eleição é só no dia 6 de outubro, muita coisa ainda pode rolar e ser feita […]”, afirmou.

O Podemos irá apoiar a pré-candidatura de Roberto Cidade (UB) e, com relação à ele, Yomara Lins afirmou que tem visto que o político está preparado para a disputa. “Ele é uma pessoa bem preparada, tem se demonstrado uma pessoa que sabe gerenciar e administrar, vejo que ele está bem capacitado”, avaliou.

Jogo das Cartas

Ao participar do Jogo das Cartas do Debate Político, a primeira figura sorteada foi o vereador Lissandro Breval (PP) que, de acordo com ela, tem trabalhado bastante durante o seu mandato.

“É um colega que trabalha bastante, como todos os demais e se dedicando ao seu trabalho. Temos características diferentes, eu sou mais calma e ele é mais agitado, é o estilo dele”, avaliou.

O pré-candidato a prefeito Wilker Barreto (Mobiliza) foi outro nome comentado e, de acordo com Yomara Lins, é um político maduro. “É um político maduro, inteligente. Tem posicionamentos firmes e diretos, é um nome forte e está procurando novos degraus”, disse.

Os senadores Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD) também foram avaliados pela vereadora de Manaus. Para ambos, ela destacou a atuação no Senado Federal. “Cada um nas suas atuações, o importante é que eles continuem nos defendendo, como cidadão, como Estado, como Zona Franca, BR-319”, afirmou.

O governador Wilson Lima (UB) também foi outro político comentado pela parlamentar, que afirmou que o governador tem feito um bom trabalho. “Ele tem trabalho bastante para continuar e alcançar. Ele pegou umas épocas bem complicadas, pandemia, seca, enchente. Ele teve que se desdobrar para conseguir socorrer todo povo amazonense”, disse.

O vereador Capitão Carpê (PL) também foi avaliado pela vereadora, que disse que o colega tem atuado na Câmara. “Cada um tem uma característica, a dele é de ir lá e defender o Bolsonaro, é a postura dele, é o jeito, e ele está atuante na Câmara”, comentou.

Mesmo não sorteando Caio André (UB), Yomara Lins fez comentários sobre o presidente da CMM, e afirmou que o mesmo tem feito um bom mandato à frente da Mesa Diretora para resgatar a imagem da Casa.

“Temos nos esforçado para que a Câmara seja mais atuante, não só no plenário, foi aí que surgiu a ideia da Câmara Cidadã […] Sabemos que mesmo que o político se esforce, muitas pessoas têm muito preconceito e tentam enquadrar os políticos todos na mesma sacola. Mas estamos tentando mudar a cara da Câmara e a cara dos vereadores”, disse.

Confira o programa na íntegra:

Leia mais: “Vão ter que engolir a mulherada”, diz pré-candidata Natália Demes no programa ‘Debate Político’

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -