24.3 C
Manaus
quarta-feira, abril 17, 2024

Justiça solicita retirada do conteúdo de André Valadão em plataformas digitais

O prazo dado pela justiça para remoção do conteúdo é de 5 dias, pois caso não seja cumprido, as plataformas estão sujeitas a pagar uma multa de R$1 mil

Por

Após vídeos do pastor André Valadão terem circulado nas redes sociais, a Justiça Federal tomou a decisão de solicitar das plataformas de Youtube e Instagram a retida do conteúdo. A decisão foi proferida após o Ministério Público realizar a solicitação do pedido.

O prazo dado pela justiça para remoção do conteúdo é de 5 dias, pois caso não seja cumprido, as plataformas estão sujeitas a pagar uma multa de R$1 mil.

Além desse pedido da MPF, tem a solicitação da condenação do pastor para que ele arque com os custos de produção e divulgação de contrapontos aos discursos feitos, a retratação pelas ofensas, e o pagamento de R$ 5 milhões por danos morais coletivos.

A Justiça entendeu ser público e notório que Valadão tem influência sobre um número significativo de fiéis e seguidores. “O vídeo no YouTube já acumulou cerca de 378 mil visualizações e 5,7 mil comentários. A postagem no Instagram, que promove a pregação, recebeu cerca de 200 mil ‘curtidas’, demonstrando uma disseminação ampla do vídeo e das publicações, causando efeitos negativos a um número indeterminado de pessoas”, aponta a decisão.

Essa viralização foi o que impulsionou a retirada do conteúdo. De acordo com a Justiça, a necessidade da decisão liminar foi dada devido o conteúdo divulgado ser de potencial homofóbico e transfóbico, capaz de incitar nos ouvintes e fiéis sentimentos de preconceito e aversão, além de estimular agressão a cidadãos de orientações sexuais diversas daquela defendida pelo pastor.

Entenda o caso

Durante o mês de junho deste ano, o pastor André Valadão fez, em seus perfis nas redes sociais, a campanha “Orgulho não” ou “No Pride”. As postagens fazem clara referência discriminatória à população LGBTQIA+, uma vez que a palavra orgulho aparece nas cores da bandeira símbolo do movimento.

Em culto religioso transmitido ao vivo pelo YouTube, em 4 de junho, André Valadão associa, em vários momentos, as vivências das pessoas homoafetivas a um comportamento desviante, pecaminoso, imoral e, portanto, algo a ser odiado e rechaçado. Durante a pregação, o pastor se referiu às pessoas LGBTQIA+ com  expressões como amaldiçoados, nojentos, antinaturais e dignos de ódio.

Já em 2 de julho, também em transmissão ao vivo, Valadão subiu mais um degrau na escalada de ódio e violência. Ele teria incitado os fiéis a matarem pessoas LGBTQIA+. Em trecho do culto, após mencionar “que se Deus pudesse mataria todos pra começar tudo de novo”, o pastor diz: “Tá com você. Sacode uns quatro do teu lado e fala: vamos pra cima!”. A fala do líder religioso pode estimular os cristãos a repudiarem e a atacarem fisicamente essa coletividade de pessoas que, socialmente, já se encontram em situação de vulnerabilidade social.

 

Por Tatiana Nascimento 

Revisora: Vanessa Souza 

Foto: Divulgação

Leia Mais: Sem transparência em certame, Prefeitura de Presidente Figueiredo irá gastar mais de R$ 1 milhão em recapeamento

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -