26.3 C
Manaus
quarta-feira, abril 24, 2024

Bolsonaro nomeia general Júlio Cesar Arruda indicado por Lula para o comando do Exército

Nomeação saiu no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 28/12 e a posse ocorrerá na sexta-feira, 30/12, no Clube do Exército, em Brasília

Por

O general do Exército, Júlio Cesar de Arruda, indicado pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), assumirá o cargo de comandante da instituição interinamente a partir da próxima sexta-feira, 30/12. A nomeação dele foi publicada na edição desta quarta-feira, 28/12, no Diário Oficial da União (DOU) e é assinada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e pelo ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira. Ele assume no lugar de Marco Antônio Freire Gomes.

Arruda e os demais comandantes das Forças Armadas foram escolhidos por Lula e pelo futuro ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, no início deste mês. São eles: o almirante Marcos Olsen – Marinha e o brigadeiro Marcelo Damasceno – Aeronáutica. 

No entanto, só a troca do chefe do Exército foi formalizada antecipadamente.

Antecipação – Segundo informações, a antecipação da nomeação de Arruda foi consenso entre os militares que o atual comandante do Exército deveria passar o bastão para o general Arruda antes da posse de Lula.

A avaliação feita por militares é de que, diante do aumento do receio de episódios de violência, é mais prudente que o Exército já esteja sob o comando do general escolhido por Lula. Na caserna, há alertas com a segurança da posse do petista.

A cerimônia de troca de comando ocorrerá na sexta, 30, no Clube do Exército, em Brasília, e terá a presença de Nogueira de Oliveira e Múcio.

Segundo militares de alta patente ouvidos pela coluna, a presença do atual ministro tem o objetivo de demonstrar que, apesar das investidas de Bolsonaro de “apropriação” das Forças Armadas, os militares estão cumprindo o seu papel constitucional de instituição de estado.

Impasse na Marinha – Segundo reportagem publicada hoje pelo jornal Folha de S. Paulo, apesar de interlocutores no Ministério da Defesa dizerem que a troca ocorreria hoje ou amanhã, auxiliares do comandante da Marinha, Almir Garnier, afirmaram que a realização de uma cerimônia antes da posse de Lula não é uma possibilidade.

Pessoas próximas do futuro ministro da Defesa afirmaram ao jornal que Garnier tem se mostrado resistente a tentativas de aproximação, diante da derrota de Bolsonaro nas urnas e foi o único a criar empecilhos para a transição.

Nomeação da Aeronáutica – Na Aeronáutica, a troca ocorrerá no dia 2 de janeiro. O atual comandante Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior também cogitou deixar o posto antes.

Alinhado a Bolsonaro, Batista Júnior também teria mostrado a intenção de não ter de prestar continência para Lula, mas pelo acertado em reunião na segunda-feira, 26/12, só deve deixar o comando já no governo do petista.

 

Da Redação com informações UOL

Foto: Marcos Corrêa / PR

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -