32.3 C
Manaus
quarta-feira, junho 12, 2024

“Essa retomada é uma nova fase”, diz Félix Valóis durante programa ‘Debate Político’

O ex-vice-prefeito de Manaus foi o convidado da semana da nova temporada do programa Debate Político, apresentado pela COO da empresa Letícia Barbosa

Por

No episódio da nova temporada do programa “Debate Político”, O Convergente recebeu, nessa terça-feira (28), o ex-vice-prefeito de Manaus Félix Valóis (PT), que falou sobre a volta ao cenário político. O programa foi apresentado pela COO da empresa Letícia Barbosa e exibido pela TV Rede Onda Digital, através do canal 8.2, e pelo canal do Youtube da Rede Onda Digital.

Logo no início do programa, ele afirmou que o retorno à política partiu de uma conversa entre ele e o filho mais velho. De acordo com ele, o amor por Manaus fez com que ele tomasse a decisão de colocar o nome à disposição como pré-candidato.

“Acho que Manaus está sendo muito desprezada. Está faltando amor e respeito pela cidade. Vejo uma apatia muito grande no trato das coisas […] O amor eu tenho por Manaus me levou a essa decisão”, disse.

Na opinião dele, o cenário da política local não é eufórico, uma vez que ele afirma que os interesses pessoais e partidários estão sendo colocados acima do interesse público. “Não vejo com muita euforia. Acho que há uma radicalização por baixo, não se faz política no sentido de como ela deve ser feita, do interesse público. Acho que primeiro estão colocando os interesses pessoais e as vezes partidários […]. Isso não é bom para ninguém, ficam colocando grupos que não transmitem nem ideologia”, avaliou.

Retorno

Questionado sobre o motivo do afastamento, Félix Valóis comentou que resolveu ‘descansar’ após uma sobrecarga de trabalhos no sistema penitenciário. “Acabei tendo uma sobrecarga de trabalho com o sistema penitenciário e de lá pra cá resolvi descansar um pouco […]. Essa retomada é uma nova fase, completamente diferente da anterior”, pontuou.

Ele ainda comentou que, se conseguir uma vaga na Câmara Municipal de Manaus, quer ser a voz para recuperar Manaus. “Se eu for eleito, meu papel na Câmara será de fundir qualquer preço e respeito pela cidade. Quero que minha voz seja o cadinho em que se forme todas as manifestações de respeito e de recuperação de Manaus”, disse.

Com relação ao lado político entre base e oposição, Félix disse que ainda não se sabe quem será o prefeito, mas que independente das divergências, é importante fazer o melhor pela cidade.

“De qualquer maneira, qualquer que seja a posição em relação ao Executivo, acho que o fato de a gente divergir partidariamente não impede o diálogo. Acho que se todos tivermos o mesmo interesse que é fazer o bem para Manaus, não importa o lado que você esteja. Temos que encontrar um denominador comum”, destacou.

Bolsonarismo

Ao falar sobre Manaus ser fama de ser uma cidade bolsonarista, o político disse que vê com muita tristeza o apoio dos manauaras ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “Vejo com muita tristeza. Confesso que fico abismado como que ainda há fanáticos cultivando a ideia de tornar mito uma pessoa que fez tão mal para o Brasil”, comentou.

O político ainda afirmou que o apoio dos eleitores a Bolsonaro não é assunto político. “Não é um assunto nem de política, é de psiquiatria. Não consigo entender como uma pessoa ainda pode endeusar uma pessoa que matou 700 mil brasileiros […], e uma pessoa dessas ainda tem um grande círculo de adeptos, isso eu vejo com muita tristeza”, comentou.

No mesmo assunto, o político foi questionado sobre sua relação com o ex-prefeito Arthur Neto, do qual ele foi vice. Félix Valóis disse que atualmente os dois não tem tanta proximidade e que não acredita que o mesmo irá apoiar no pleito, caso concorra à Câmara.

“Notícia que eu tenho dele, última vez que eu vi foi no palanque do Bolsonaro. É evidente que ele está com Bolsonaro e eu quero longe de mim. Se tiver um momento de lucidez e quiser votar em mim, eu aceito, mas eu acho que de jeito nenhum ele vai me apoiar”, afirmou.

Filiação

Questionado sobre o apoio entre os pré-candidatos a vereadores no Partido dos Trabalhadores, Félix Valóis comentou que foi recebido muito bem na nova sigla.

“Me filiei faz pouco tempo, fui recebido com muita gentileza […]. Acho que há uma disputa, afinal você quer ser candidato, mas não tenho sido assediado e incomodado. A convenção vai decidir quem vai ser candidato e eu estou tranquilo”, disse.

Jogo das Cartas

No tradicional Jogo das Cartas do Debate Político, Félix Valóis fez comentários sinceros sobre as personalidades políticas. A primeira sorteada foi a imagem de Arthur Virgílio Neto, o qual ele deu nota 2.

“Em razão da adesão dele ao Bolsonaro, dou nota 2 […] Tínhamos naquela época uma afinidade ideológica, não sei o que aconteceu com ele”, comentou.

A figura do deputado federal Alberto Neto (PL) foi a próxima, no entanto, Valóis se poupou a comentar sobre o trabalho do parlamentar, pois afirmou que não o conhecia. “Nem o conheço, não tenho a mínima ideia de quem seja esse senhor, portanto, não tenho condições de dar nota para ele”, disse.

O governador Wilson Lima (UB) também foi outra figura política comentada no programa e, o entrevistado avaliou com nota 5. “Acho que poderia ser melhor, não tenho a honra de conhecer o governador, só conheço de televisão e jornal. Não vejo nada significativamente negativo, mas acho que poderia ser melhor. Nota 5”, pontuou

O deputado federal Amom Mandel (Cidadania) também não escapou dos comentários do político, que revelou conhecer o parlamentar desde criança. “Não acompanho, conheço o Amom porque ele é neto de um querido meu. Eu o conheço de menino, acho ele muito jovem para essa empreitada que é ser prefeito de Manaus, acho que falta um pouco de estrada”, disse. Questionado sobre o trabalho de Amom, ele afirmou que não podia dar notas. “Ele tem trabalhado? Não tenho visto a divulgação do trabalho dele. Não posso dar nota”, disparou.

Com nota 8, o senador Omar Aziz (PSD) foi o que teve a maior média na avaliação do político pela atuação no Senado. “Acho que tem feito um trabalho muito bom. Tem sido o maior destaque da bancada amazonense no Senado e tem representado bem o Amazonas, que estava carente disso”, enfatizou.

Ao comentar sobre a gestão atual de David Almeida (Avante), Valóis afirmou que Manaus não avançou nos últimos anos. “Poderia ter sido melhor, né? Fez algumas coisas de superestrutura, mas no fundo, infelizmente, Manaus está abandonada”, disse.

Confira o programa na íntegra:

Leia mais: “As pessoas não conhecem o contexto nacional”, opina Saullo Vianna sobre rumores de aliança entre Alberto Neto e Roberto Cidade durante programa ‘Debate Político’

___

Por Camila Duarte

Foto: Marcus Reis

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -