32.3 C
Manaus
sábado, fevereiro 24, 2024

Gestão de Mário Abrahim sob a mira do TCE-AM por suposta compra superfaturada de madeira

O prefeito de Itacoatiara foi denunciado por uma compra realizada em 2022, de acordo com o Diário do órgão

Por

O prefeito de Itacoatiara, Mário Abrahim, passou a ter sua gestão investigada pelo Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM). A apuração contra o chefe municipal ocorreu após o órgão receber uma denúncia de compra superfaturada de madeira em 2022. A informação foi publicada no Diário do TCE-AM no final de janeiro.

De acordo com o documento publicado no Diário, a denúncia refere-se ao processo Nº 10205/2022. Em consulta ao processo, foi possível verificar as supostas irregularidades apontadas na denúncia, que foi encaminhada como notícia de crime ao TCE-AM.

Segundo a denúncia, “o gestor municipal da cidade vem utilizando seu poder de prefeito para praticar ilegalidades, como é o caso da compra e transporte supostamente superfaturados de madeiras”.

Conforme relatado pelo denunciante, o caso ocorreu em abril de 2021, durante um período em que Itacoatiara enfrentava emergências. Mesmo assim, o prefeito Mário Abrahim realizou a compra de grandes quantidades de madeira.

“Tal conduta, à primeira vista, nos leva a acreditar que se trata de uma medida que beneficiaria a população itacoatiarense em período de grande cheia. No entanto, na verdade, o que podemos observar é algo muito suspeito, no que diz respeito à transparência do serviço prestado”, afirmou o denunciante.

A denúncia também aponta irregularidades ocorridas durante o mês de abril daquele ano, quando o transporte de madeira, adquirida pela Prefeitura, seria realizado pela empresa do irmão de Mário Abrahim. “Essas madeiras seriam utilizadas para a construção de pontes nas áreas alagadas devido à cheia do rio Amazonas”, acrescentou.

O denunciante ainda comprovou as alegações com fotos publicadas nas redes sociais. Uma das supostas irregularidades seria que o transporte realizado pela empresa do irmão de Mário Abrahim não estava emitindo nota fiscal de serviço, ou seja, uma pessoa interposta estava realizando essa função.

Desta forma, o denunciante solicitou os documentos de comprovação da carga e do transporte para verificar as informações na nota fiscal, deixando claro, de acordo com a denúncia, que as ações da gestão de Abrahim são ilegais.

“Pode-se afirmar que há fortes indícios de transações ilegais envolvendo a compra e transporte de madeira pela Prefeitura de Itacoatiara”, ressaltou.

No final do relatório, o denunciante pede que o TCE-AM tome as providências cabíveis para punir o prefeito de Itacoatiara e que os demais órgãos fiscalizadores obtenham informações sobre a veracidade dos fatos. O TCE-AM agora está analisando o processo.

Outro lado

O Convergente entrou em contato com a Prefeitura de Itacoatiara e aguarda retorno.

Leia mais: Por falta de transparência, Prefeitura de Itacoatiara entra na mira do TCE-AM por não divulgar informações sobre gastos públicos

___

Por Camila Duarte

Ilustração: Giulia Renata Melo

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -