27.3 C
Manaus
sábado, março 2, 2024

Julgamento de cassação de Silas Câmara é adiado por falta de quórum

A desembargadora Carla Maria Santos dos Reis estava ausente na sessão desta terça-feira (24). O relator do processo, juiz Marcelo Manoel da Costa Vieira, adiantou que seu voto é contrário

Por

O julgamento do processo de cassação do deputado federal Silas Câmara (Republicanos-AM), acusado de captação e uso indevido de verba pública no pleito eleitoral de 2022, previsto para esta quarta-feira (24), foi adiado pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), desembargador Jorge Lins, para o dia 31 de janeiro por falta de quórum.

Um dos motivos do adiamento foi a ausência da desembargadora Carla Maria Santos dos Reis. Segundo o presidente da Corte, ela já tem seu voto, porém, a sessão só daria continuidade se estivesse presente.

O relator do processo, juiz Marcelo Manoel da Costa Vieira, que pediu vista do processo quando o julgamento foi adiado em dezembro do ano passado, adiantou que seu voto é divergente (contrário) à decisão da cassação do deputado federal.

Silas, que é presidente da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso foi o quarto candidato a deputado federal mais votado em 2022, e eleito para o sétimo mandato com mais de 125 mil votos.

A defesa do deputado ainda pode interpor recurso em instância superior ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesta etapa, a corte realiza uma revisão aprofundada e, por fim, pronuncia a decisão final.

Leia também:

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) usou as redes sociais para falar do caso do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista da parlamentar Anderson Torres, em 2018, em resposta após a suposta delação do ex-policial reformado Ronnie Lessa, um dos suspeitos envolvido no crime, conforme divulgado pelo O Globo, nesta terça-feira (23).

Ele citou o nome do conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro TCE-RJ, Domingos Brazão, como mandante do crime da vereadora.

Em seu perfil no X (antigo Twitter), Bolsonaro repostou uma live de outubro de 2019, quando a TV Globo denunciou o crime. Na época, ele estava na Arábia Saudita e fez a transmissão após o encerramento do jornal.

Leia mais: Bolsonaro diz que desfecho do caso Marielle ‘se aproxima do seu final’

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -