26.3 C
Manaus
terça-feira, junho 18, 2024

Políticos usam suas redes sociais para repudiar os ataques criminosos ocorridos no Estado

Os políticos utilizaram suas redes sociais para se pronunciarem sobre a investida dos criminosos contra a população do Estado nas últimas 48 horas. Eles cobraram mais rigor no combate da criminalidade

Por

Após os ataques à capital amazonense e a municípios da Região Metropolitana no final de semana em retaliação à morte do traficante Erick Batista Costa, o “Dadinho”, em um confronto com a Polícia Militar, políticos do Amazonas utilizaram suas redes sociais para se pronunciarem sobre o assunto.

Entre as ocorrências registradas estão o roubo e o incêndio de uma ambulância do Samu. Sete agências bancárias foram depredadas e/ou incendiadas, sendo elas pertencentes aos bancos Bradesco, Basa, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Santander. Oito prédios públicos atacados nas últimas 48h foram o Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC) de Educandos, a Bola das Letras, Dom Pedro, a UBS 10, no bairro Nova Esperança, zona Centro-Oeste; o prédio do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP); o prédio da Associação de Moradores do Aleixo; e os terminais de ônibus de Petrópolis e da Cidade Nova.

No Twitter, o senador Plínio Valério (PSDB) publicou o ofício N.° 188/2021 – GE encaminhado ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Gustavo Torres solicitando o apoio do Governo Federal com o envio de tropa da Força Nacional de Segurança, em caráter de urgência, para atuar em apoio as ações de combate ao crime organizado na capital e no interior do Estado.

“A situação é de extrema urgência. Reforço ao senhor ministro da Justiça Anderson Torres o pedido de ajuda oficiado pelo governador Wilson Lima. Às instituições do bem precisam agir para conter o avanço de facções que vem levando o terror aos cidadãos de Manaus e interior”, pediu.

Confira o vídeo:

O senador Eduardo Braga (MDB) lamentou o ocorrido e aproveitou o momento para criticar o Governo do Estado do Amazonas. Segundo o senador, tem ocorrido a politização dos fatos, “querem tirar a atenção da semana importante na CPI, que vai ouvir o governador”, escreveu em suas redes sociais.

Confira o vídeo:

Quem também se manifestou, pedindo apoio da Força Nacional para cooperar junto ao Comando Militar na Amazônia, foi o senador Omar Aziz (PSD).

“É necessário unirmos força nesse momento, o governador precisa pedir a Força Nacional, tem que conversar com o Comando Militar na Amazônia para dar segurança à população de Manaus. É preciso políticas públicas para que a gente não deixe os espaços serem ocupados pelas facções. Venho alertando isso há muito tempo. Acabei de falar com o Ministro da Justiça, disse a ele que Manaus não pode esperar uma noite de terror, é necessário agir e agir com rigor”, disse o senador.

Confira o vídeo:

O deputado federal Marcelo Ramos (PL) disse, em vídeo divulgado nas redes sociais, que se medidas não forem adotadas para o combate ao tráfico de drogas, o Amazonas vai se aproximar cada vez mais do estado do Rio de Janeiro.

“É preciso agir com inteligência e seguindo o braço financeiro do tráfico, é preciso asfixiar o tráfico, asfixiar o duto das atividades legais que financiam o tráfico na cidade. Se não fizermos isso, perderemos o controle e Manaus virará um novo Rio de Janeiro. Inteligência, investimento em segurança pública para que a gente possa retomar a paz na cidade de Manaus e no Estado do Amazonas”, disse ele em suas redes sociais.

Confira o vídeo:

Em busca de mais ajuda para segurança do Estado, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), deputado Roberto Cidade (PV), enviou um ofício ao Governo Federal solicitando a intervenção das Forças Armadas na Segurança Pública do Estado. No documento, Roberto Cidade destaca o Artigo 142 da Constituição Federal que estabelece a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) em casos como este.

A Garantia da Lei e da Ordem (GLO) é uma medida provisória que concede ao Exército o poder de polícia, principalmente quando há o esgotamento das forças de Segurança Pública em situações de crise, por exemplo.

“Num ato de total ousadia contra as forças de segurança do Estado, integrantes de uma facção criminosa incendiaram ônibus, atearam fogo em ambulâncias, órgãos públicos, agências bancárias e até em uma delegacia de polícia. O que presenciamos hoje é um absurdo que não pode ser tolerado. Precisamos garantir a segurança da população amazonense”, destacou Roberto Cidade.

O presidente da República é quem pode decretar a execução das operações de garantia da lei e da ordem. Por norma, estas missões somente são convocadas quando há uma grave ameaça contra a manutenção da ordem e respeito às leis no país.

_ _ _

Com informações das assessorias.

Fotos: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -