32.3 C
Manaus
sábado, junho 22, 2024

No Dia Mundial do Meio Ambiente, Wilson Lima assina pré-contrato para iniciar consultas públicas em áreas de projetos de REDD+

As propostas aprovadas podem gerar juntas mais de R$ 3,3 bilhões em novos créditos

Por

O governador Wilson Lima assinou, na quarta-feira (05), Dia Mundial do Meio Ambiente, um pré-contrato junto à Future Carbon Holding S.A para iniciar as consultas públicas prévias à implementação das iniciativas de geração de novos créditos de carbono nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro e do Juma. A empresa foi habilitada, via edital, para realizar propostas de REDD+ nessas Unidades de Conservação (UC).

REDD+ é a sigla para Redução de Emissões provenientes do Desmatamento e da Degradação Florestal. Somente nas RDS do Rio Negro e do Juma, a expectativa é gerar 28,5 milhões de toneladas de carbono equivalente (tCO2e). Caso aprovados, os projetos podem render juntos de mais de R$ 3,3 bilhões em novos créditos. As iniciativas homologadas devem beneficiar mais de 1,1 mil famílias em 63 comunidades.

“Hoje o que o Governo do Estado está fazendo é entregando resultado de muito trabalho, dedicação daqueles que tiveram a oportunidade na Secretaria de Meio Ambiente, começaram a plantar essa semente, e que hoje estamos efetivando, o tão sonhado crédito de carbono. Hoje damos os passos mais significativos desse processo“, destacou o governador Wilson Lima.

Participaram da solenidade, realizada na sede do Governo do Amazonas, o secretário de Estado de Meio Ambiente Eduardo Taveira; o secretário de Estado de Defesa Civil, Francisco Máximo, representantes da empresa, além dos deputados estaduais Adjuto Afonso e Felipe Souza, entre outras autoridades.

A RDS Rio Negro recebeu quatro propostas enquanto a RDS do Juma foi alvo de três proposituras. Em ambas as Unidades de Conservação, a Future Carbon Holding S.A foi considerada apta por uma Comissão Especial de Seleção, instalada pela Portaria Sema nº 55/2023, a partir da avaliação de critérios de qualificação e habilitação técnica para a prestação do serviço.

“Depois de quase 20 anos, o governador torna realidade a possibilidade da floresta em pé remunerar e melhorar a vida daquelas pessoas que de fato são quem guardam a floresta, se sustentam dela e que traz ao Estado uma decisão de ter recursos para que essa agenda ambiental seja cada vez mais uma agenda ambiental nossa, estadual“, explicou o secretário de Meio Ambiente (Sema), Eduardo Taveira.

Agora, a empresa deve realizar as consultas prévias, livres e informadas com os beneficiários do projeto, nos termos da Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), observando as peculiaridades e os requisitos normativos e culturais junto aos povos e comunidades tradicionais abrangidos.

As consultas deverão ser comprovadas por meio de ata de reunião e listas de presença nas comunidades abrangidas pelo projeto, conforme item 13.2.1 do Edital de Chamamento Público nº 002/2023. O contrato definitivo para implementação dos projetos só será firmado após esta etapa, com a aprovação das comunidades, caso as propostas sigam estritamente os parâmetros previstos em edital.

Com a assinatura do pré-contrato, a Sema juntamente com a empresa, vai elaborar uma proposta de plano de ação para apresentar às comunidades, a fim de construírem as iniciativas conjuntamente, para implantar ações sustentáveis que gerem benefícios sociais e fortaleçam a proteção ambiental.

Os projetos devem contemplar atividades em áreas como restauração florestal, turismo de base comunitária, bioeconomia e incentivo a cadeias produtivas locais (manejo do pirarucu, extração de óleos e manejo madeireiro e não-madeireiro, entre outros), conforme determinado no Plano de Gestão das respectivas UC.

Nesta estratégia, dos recursos captados com a venda dos ativos, 50% deve ficar obrigatoriamente como benefício direto às comunidades, com atividades de incentivo à cadeia produtiva, fortalecimento das Associações-Mãe, melhoria na infraestrutura e outros investimentos.

Os outros 50% serão destinados ao Fundo Estadual de Mudanças Climáticas (Femucs), para melhorar as estruturas da gestão ambiental e, sobretudo, garantir a sustentabilidade financeira do “Guardiões da Floresta”, programa de pagamento por serviços ambientais voltado a moradores de Unidades, que desenvolvem atividades de conservação.

Ainda em alusão ao Dia do Meio Ambiente, o governador entregou, por meio da Sema, à Defesa Civil do Amazonas 10 sensores de monitoramento da Qualidade do Ar, que beneficiam prioritariamente municípios com alto índice de focos de calor. A entrega é fruto de um termo de cooperação entre o Governo do Amazonas e a Embaixada da Coreia do Sul. Com apoio das empresas sul-coreanas Samsung e LG, o investimento é de US$ 500 mil, aproximadamente R$ 2,5 milhões.

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação

Foto: Diego Peres e Alex Pazuello / Secom

Leia mais: Após Congresso vetar ‘saidinhas’, advogados recorrem ao STF para barrar proibição

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -