34.3 C
Manaus
sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Governador do Acre afirma que continuará no poder após ser denunciado por comandar esquema criminoso

A Procuradoria-Geral da República pediu o afastamento imediato do governador, suspeito de comandar uma organização que teria causado prejuízo de R$ 150 milhões aos cofres públicos

Por

Após o pedido de afastamento feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o governador do Acre, Gladson Cameli (PP) afirmou, por meio de nota divulgada pelo Governo do Acre, que se coloca à disposição para esclarecer as acusações.

Cameli foi denunciado pela PGR por quatro crimes, sendo um deles formação de organização criminosa. O órgão também acionou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que seja determinado o afastamento imediato do político do cargo de governador.

Em nota, o Governo do Acre afirmou que o governador tem confiança na Justiça e estará à disposição para prestar esclarecimentos. Além disso, ele continuará cumprindo as obrigações à frente do governo. Gladson Cameli está em Dubai, onde participa da COP28.

“Diante das publicações recentes veiculadas na imprensa acreana e nacional acerca de denúncia da Procuradoria-Geral da República, e consequente pedido de afastamento do exercício do mandato, o governador Gladson Cameli reafirma sua confiança na justiça, mantendo-se à disposição para quaisquer esclarecimentos, bem como permanece cumprindo suas obrigações como chefe do Poder Executivo do Estado do Acre”, diz a nota.

Entenda o caso

A denúncia foi oferecida, na última terça-feira (28), pela PGR contra o governador do Acre e outras 12 pessoas. Elas foram denunciadas pelos crimes de peculato, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A decisão sobre o afastamento do governador caberá à ministra Nancy Andrighi.

O documento conta com 175 páginas, onde o subprocurador-geral da República Carlos Frederico Santos afirmou que, desde 2019, Gladson Cameli comanda um esquema de fraude em licitações.

A PGR ainda apontou fraudes ou direcionamento em pelo menos oito contratos firmados nos últimos anos pelo governo do Acre. O prejuízo estimado é de R$ 150 milhões.

Leia mais: MPF pede multa por danos morais de R$ 1 milhão ao Estado do Acre por não ativar Conselho Penitenciário nos últimos 10 anos

___

Por Camila Duarte

Revisão textual: Vanessa Santos

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -