25.3 C
Manaus
quarta-feira, maio 29, 2024

Gleisi chama Michelle Bolsonaro de “santa do pau oco” após suspeita de rachadinha

O nome disso é corrupção", disse a deputada à coluna do Chico Alves, no Portal UOL

Por

A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), comentou os áudios interceptados pela Polícia Federal que mostraram que Michelle Bolsonaro, ex-primeira-dama, só realizava pagamentos em dinheiro vivo e usava o cartão de crédito de uma amiga. “Empresas financiavam Michelle Bolsonaro, a santa do pau oco. O nome disso é corrupção”, disse a deputada à coluna do Chico Alves, no Portal UOL.

As conversas foram interceptadas pela PF por meio da quebra de sigilo das comunicações de Mauro Cid, preso em 3 de maio por suspeita de fraudar certificados de vacina da covid-19. As informações estavam dispostas em áudios enviados por um aplicativo de mensagens.

De acordo com o relatório da PF, os diálogos revelam a existência de uma “dinâmica sobre os depósitos em dinheiro para as contas de terceiros e a orientação de não deixar registros e impossibilidades de transferências”. Para a PF, isso é um indicativo de desvios de recursos públicos para a quitação dessas despesas.

“Ainda vamos ver mais dinheiros ilegais para os Bolsonaro”, disse Gleisi. “A PF puxou o fio da meada e está desnudando a família. Cid é um arquivo enorme e o dinheiro envolvido é maior do que rachadinha”, afirma.

A investigação também detectou que Michelle usava um cartão de crédito vinculado à conta de uma amiga, Rosimary Cardoso Cordeiro, que era assessora parlamentar no Senado. A PF detectou depósitos em dinheiro vivo para Rosimary com o objetivo de custear as despesas com o cartão de crédito, tentando ocultar a origem dos recursos.

Nas mensagens, Mauro Cid mostrava preocupação que a prática fosse caracterizada como um esquema de rachadinha, uma vez que não havia comprovação da origem dos recursos. Ele ainda diz que o caso “é a mesma coisa do Flávio (Bolsonaro)”, acusado de peculato pelo MP do Rio de Janeiro.

“Era tão errado o que faziam que o tenente-coronel Mauro Cid temia que se parecesse com rachadinha”, comentou Gleisi.

Após a divulgação das conversas pelo Portal UOL, o subprocurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, Lucas Rocha Furtado, pediu à Corte a formação de uma força-tarefa para investigar os gastos da ex-primeira-dama.

Leia mais: Rachadinha? – Áudios analisados pela PF indicam um suposto esquema de dinâmica de depósito nos pagamentos das despesas de Michelle Bolsonaro

Por informações da UOL

Foto: Divulgação

 

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -