25.3 C
Manaus
sábado, maio 25, 2024

Retomada de obras inacabadas do governo federal poderá beneficiar escolas no interior do Amazonas

Presidente Lula assina Medida Provisória que oficializa a retomada em cerimônia no município cearense do Crato, nesta sexta-feira (12/5). Serão investidos quase R$ 4 bilhões até 2026

Por

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assina, nesta sexta-feira (12/5), no Crato (CE), 15h30, a Medida Provisória (MP) que institui o Pacto Nacional pela Retomada de Obras da Educação Básica. O objetivo é possibilitar a conclusão de mais de 3.500 obras de infraestrutura escolar paralisadas ou inacabadas em todo o país, segundo cadastro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

A ação pode criar cerca de 450 mil vagas nas redes públicas de ensino no Brasil. Serão investidos quase R$ 4 bilhões ao longo dos próximos quatro anos, entre 2023 e 2026.

Um dos destaques do pacto nacional é a adoção da correção dos valores a serem transferidos pela União aos entes pelo Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), um indicador que reflete com maior precisão as oscilações da área de construção civil. Como a quase integralidade (95,83%) das obras que se encontram na situação de paralisadas ou inacabadas tiveram pactuações firmadas entre 2007 e 2016, a adoção da medida viabiliza a retomada, já que o INCC acumulado podendo chegar a mais de 200%, dependendo do período.

NÚMEROS – Atualmente, existem mais de 3.500 obras escolares que receberam recursos do FNDE no âmbito do Plano de Ações Articuladas (PAR) e que estão com status de inacabadas ou paralisadas no Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec).

A conclusão desse conjunto de construções, em sua totalidade, somaria ao país mais de 1.200 unidades de educação infantil, entre creches e pré-escolas; quase 1000 escolas de ensino fundamental; 40 escolas de ensino profissionalizante e 86 obras de reforma ou ampliação, além de mais de 1.200 novas quadras esportivas ou coberturas de quadras.

Na hipótese de obra ou serviço de engenharia inacabado, a retomada será precedida de novo instrumento firmado entre o FNDE e o ente federativo, com repactuação de valores e prazos. No caso de construções paralisadas, a retomada exigirá a assinatura de aditivo ao termo de compromisso vigente, também com novos prazos e valores.

Após a repactuação, as obras beneficiadas no âmbito do pacto nacional terão novo prazo de 24 meses para conclusão, que pode ser prorrogado pelo FNDE por igual período, uma única vez.

Escolas inacabadas no interior do Amazonas

Manacapuru:

O abandono de prédios escolares tem se tornado frequente em todo o Brasil e no Amazonas não tem sido diferente de outros estados do país. Fato este que vem prejudicando o desenvolvimento educacional de diversas crianças em idade escolar.

Em Manacapuru, duas unidades escolares construídas há anos se encontram ao mesmo tempo, em condições não favoráveis para o funcionamento. Sendo estas as Escolas Municipais Ezequiel Ruiz e José de Melo Sobrinho, localizadas nos ramais Bela Vista e Lago do Calado (comunidade da Palestina).

 

Leia mais: Descaso: Obras em escolas de Manacapuru estão paralisadas e crianças estudam no ‘improviso’

Por informações do Governo Federal

Foto: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -