25.3 C
Manaus
terça-feira, maio 28, 2024

Estudar ou trabalhar, a principal dúvida entre os alunos do ensino superior

Metades dos estudantes universitários não conclui o curso iniciado.

Por

O que vale mais a pena: estudar ou trabalhar? Muitos universitários se veem diante desta dúvida e, geralmente, o que mais pesa na decisão é a estabilidade financeira, enquanto para outra parcela, ingressar no ensino superior é uma oportunidade para complementar o currículo e a carreira para o mercado de trabalho. O que vale mais?

O Censo da Educação Superior, realizado pelo INEP, constatou um índice de mais de 54% de evasão no ensino universitário, sendo ela em rede pública ou privada.  Dentre as causas, está à falta de identificação com a área escolhida, e outros motivos são relacionados a questões financeiras, em especial nas faculdades particulares, onde estudantes desistem por não poderem arcar com os custos, ou por não conseguirem conciliares os estudos ao trabalho, acabando por escolher a fonte de renda, ou seja, deixam de estudar para trabalhar.

Atualmente, com o uso constante da internet e o trabalho remoto, muitos profissionais têm optado por entrar no mercado de trabalho sem passar pela faculdade. Pode parecer loucura, mas existem profissões onde se ganha bem e não se exige diploma para atuar. Ainda assim, o trabalhador precisa estudar e se atualizar constantemente, dependendo da carreira. Entre as opções de atualização curricular, estão os cursos técnicos, especializados e cursos livres.

Esse é o caso do líder de desenvolvimento do Sidia- Instituto de Ciência e Tecnologia – Matheus Soares, que ainda não concluiu o ensino superior, mas já atua no mercado. “Para início de carreira profissional algumas áreas irão ser mais flexíveis. Falando especificamente da área de tecnologia que é onde eu estou inserido já não é incomum que não seja feita essa cobrança, sendo priorizada a experiência e formações secundárias. Não acho que as pessoas não irão mais buscar entrar em uma universidade, mas penso que algumas áreas irão permitir conciliares estudos e trabalho de modo a formar um profissional com uma boa base teórica, mas com uma boa vivência no mundo real também”, disse ele.

“Muitos alunos acabam se desenvolvendo no mercado de trabalho e ganhando cargos de chefias, onde se requer muitas responsabilidades e demandas para cumprir, e a faculdade acaba ficando de lado. Tenho uma série de exemplos de alunos que passaram por isso, alunos finalistas que acabaram optando pelo trabalho ao invés de concluir o curso”, enfatizou o professor acadêmico, Helder Mourão.

 

Por: Kalinka Vallença

Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -