25.3 C
Manaus
terça-feira, maio 28, 2024

Marcelo Ramos recebe apoio ao chegar no Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus

O deputado foi retirado da vice-liderança da Câmara após sua ex-sigla, o PL, pedir o cargo de volta. Ramos alega que o motivo do pedido da sigla foi por ele defender a Zona Franca de Manaus (ZFM) dos ataques do Governo Federal

Por

Cerca de 200 pessoas foram nesta quinta-feira, 26/5, receber o deputado federal Marcelo Ramos (PSD-AM) no aeroporto Eduardo Gomes, que retornava de Brasília, após ser retirado do cargo da vice-liderança da Câmara dos Deputados, a pedido do PL, ex-sigla do parlamentar. Com faixas e cartazes de apoio, os manifestantes entoavam palavras de ordem e agradecimentos por Ramos seguir na defesa da Zona Franca de Manaus e dos interesses do Amazonas e nas críticas à política econômica que prejudica a atividade industrial no Estado.

“Retirar um amazonense da vice-presidência da Câmara simplesmente por ter defendido os interesses do meu estado é estender o tapete ao autoritarismo. Quando o Poder Executivo ataca a democracia é perigoso. Quando o Legislativo se associa ao Executivo para atacar a democracia é mortal”, resumiu Marcelo Ramos, ao ser questionado sobre a sua eleição ao cargo, em que teve 396 votos, quase 100 a mais do que o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), que o destituiu.

Marcelo Ramos agradeceu a presença em massa de apoiadores e revelou que, a partir de agora, vira a página para focar no que é importante, que é proteger a economia do estado e procurar soluções para a alta da inflação e a fome. “Foi a decisão mais fácil da vida. Escolhi não me calar porque os interesses do Amazonas não cabem num cargo. O presidente fica com o cargo e eu fico ao lado dos amazonenses”, disse.

Ex-vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos teve a “cabeça” pedida em uma live pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) após elevar o tom das críticas ao governo por conta de dois decretos que reduziram o IPI- Imposto sobre Produtos Industrializados, -âncora fiscal da ZFM, que tiram a competitividade do modelo, ameaçam milhares de empregos e reduzem a circulação de riquezas decorrentes da atividade industrial no Amazonas.

Bateria Mocidade do Coroado – Ao som da bateria da Escola de Samba Mocidade do Coroado, que no carnaval deste ano homenageou Marcelo Ramos em seu desfile com o enredo “Essa é sua História: Lutas, Conquistas e Vitórias, Ramos foi saudado pelos presentes e integrantes da agremiação.

Líder do CDCC do Coroado, Ronildo Souza disse que Ramos foi muito consistente nas palavras dele e que isso causou um desconforto ao presidente. “Eu não acredito que o povo amazonense vai aceitar isso de braços cruzados e aplaudir um governo que continua atacando a Zona Franca. Ainda bem que temos um parlamentar com coragem de peitar estas decisões ruins pra nós”, argumentou.

 

Da Redação com informações da Assessoria de Imprensa

Foto: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -