27.3 C
Manaus
quarta-feira, julho 24, 2024

Curso de capacitação de conselheiros indígenas de saúde abordará desinformação e fake news no combate à Covid-19

O curso, que ocorrerá no formato online, é voltado para a capacitação de conselheiros indígenas de 252 aldeias, de 49 etnias, situadas no Estado será realizado pelo Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) em parceria com o Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi) e o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei). Segundo a diretora do ILMD/Fiocruz Amazônia, doutora Adele Schwatz Benzaken, o curso irá abordar um combate as fakes news e principalmente o combate a resistência a vacinação

Por

O conceito de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS), desinformação e fake news no combate à Covid-19 serão os principais temas abordados no curso de Capacitação de Conselheiros Indígenas de Saúde do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei/Manaus), que irá ocorrer de 7 a 11 de março. A capacitação, que ocorrerá no formato online, será realizada pelo Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) em parceria com o Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi) e o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei).

De acordo com a diretora ILMD/Fiocruz Amazônia, médica sanitarista, especialista em Saúde Pública, Adele Schwartz Benzaken, o objetivo do é curso capacitar os conselheiros indígenas de saúde e reforçar os cuidados para o combate da Covid-19 em 252 aldeias, de 49 etnias, situadas no Estado. A diretora da Fiocruz Amazônia destacou que os assuntos que serão abordados no curso têm tudo a ver com o papel dos conselheiros juntos as suas comunidades.

“Eu gostaria de enfatizar principalmente as discussões que eles terão sobre o SUS e também sobre o sistema de saúde indígena, principalmente um tema muito atual que é a questão da Covid-19, onde o curso irá abordar o combate as fakes news e principalmente o combate a resistência a vacinação”, destacou Adele Benzaken.

A médica sanitarista ressaltou, ainda, que as fakes news só podem ser enfrentadas quando se tem as informações corretas e baseadas em evidencias cientificas. “Esse curso ele clareia muito para os conselheiros e posteriormente para as comunidades aonde eles atuam. Não só as informações sobre Covid-19, mas principalmente a importância da vacinação e das doses de reforço, explicou Adele.

Segundo a doutora, o curso foi viabilizado por meio do Programa Fiocruz de Fomento à Inovação, “Inova Fiocruz”, lançado em 2018, que tem como objetivo fomentar a pesquisa e a inovação, a partir de pesquisas na área de saúde.

Pesquisadores – Adele Benzaken ainda reforçou que o curso de Capacitação de Conselheiros Indígenas de saúde do Dsei/Mao com o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s) é resultado do trabalho desenvolvido pelas pesquisadoras do ILMD/Fiocruz Amazônia, Kátia Maria Lima de Menezes, doutora em Saúde Pública, e Fabiane Vinente, doutora em Antropologia Social, ambas pertencentes ao Laboratório de Pesquisa em História e Políticas de Saúde na Amazônia (Lahpsa).

O doutor em História e Ciências da Saúde, Júlio Schweickardt explicou que o curso além de levar capacitação as aldeias indígenas, vai fortalecer o controle social. “Uma das atribuições do SUS é a participação social através do controle social. É bem importante a gente fortalecer o controle social, porque ele é aquele braço do usuário, que vai ajudar no acompanhamento das políticas públicas”, reforçou.

Para a pesquisadora Fabiane Vinente, a implantação do curso representa uma iniciativa de parceria entre as instituições. “O curso ele estabelece uma colaboração que vai a partir do que a Fiocruz faz aqui no nosso Estado. Então, a Fiocruz olha também para populações tradicionais e nesse momento da pandemia busca visualizar onde que ela é mais necessária. Daí surgiu a necessidade de capacitação dos conselheiros, eles não tinham uma formação para o enfrentamento da Covid-19, a partir do papel deles de controle social, que a gente chama o que os conselheiros fazem”, ressaltou a doutora em Antropologia Social.

Além das pesquisadoras, também participaram do projeto a doutora em Medicina Tropical Luciete Almeida, pesquisadora da Fiocruz Amazônia.

Capacitação –O curso será feito de forma inédita, no formato de Ensino a Distância (EAD), por meio do aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp. Ele será divido em quatros unidades. A primeira etapa vai trabalhar sobre o conceito de saúde no SUS, a segunda parte da capacitação vai abordar sobre a política de saúde indígena.

Já na terceira unidade, será enfatizado o trabalho sobre o controle social e o papel do conselheiro indígena nas aldeias. Na quarta etapa será desenvolvido o tema da Covid-19, com as medidas de prevenção e vacinação, no combate à doença.

Os materiais utilizados na capacitação, bem como materiais educativos, ficarão disponíveis também do site da Condisi/Manaus (https://condisimanaus2021.wixsite.com/ambienteesadenaamazn), entre eles uma cartilha com conteúdo lúdico-didático, baseado na realidade sociocultural dos indígenas para atuação dos conselheiros nas ações de combate a Covid-19.

Inscrições – As inscrições iniciaram no último dia 20 de fevereiro e seguem até o dia 4 de março, por meio do link do formulário de inscrição disponível no site do Condisi: https://forms.gle/2mUDuwgxKcLiw3H17

 

 

 

— —

Por Eriana Monteiro

Foto: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -