25.3 C
Manaus
sábado, maio 25, 2024

MPF investiga falta de pagamento a professores indígenas em Lábrea

Ação pede também a formulação de um Plano de Cargos e Salários para os profissionais. O prefeito do município, Gean Barros (MDB) tem cinco dias para apresentar a comprovação dos salários depositados.

Por

Após relatos de representantes dos professores indígenas do município de Lábrea, sobre o possível corte de salários dos profissionais durante a pandemia de Covid-19, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou um inquérito civil público para apurar se a prefeitura de Lábrea (a 701 quilômetros de Manaus) cometeu irregularidades nos pagamentos dos professores indígenas que atuam no município.

Em documento publicado no Diário Eletrônico do Ministério Público Federal, o procurador da República, Fernando Merloto Soave embasou o inquérito nos relatos dos representantes municipais, que apresentaram a denúncia relacionada aos problemas para recebimento dos vencimentos dos professores indígenas. A denúncia cita, além dos cortes salariais no período da pandemia, a falta de suporte aos profissionais e instabilidade nos cargos, já que estariam impedidos de retornar às atividades.

A prefeitura informou ao órgão, segundo diz o despacho, que estaria regularizando os pagamentos que estariam em atraso, contudo, não havia a garantia de que os professores indígenas retornariam as suas atividades normais, já que seria necessária uma autorização da Fundação Nacional do Índio (Funai).

No entendimento do MPF, o fato de todos os profissionais da educação já estarem com o ciclo vacinal contra Covid-19 completo, ou seja, com os professores 100% vacinados, não haveria impedimentos legais para o retorno às aulas.

O inquérito acabou sendo instaurado com o objetivo inicial de regularizar a situação dos professores e ainda pede a elaboração de um Plano de Carreira, Cargos e Salários para os profissionais da Educação do município.

O MPF estipulou um prazo de cinco dias para que o prefeito Gean Barros (MDB) e seu secretário municipal de educação, Jesus Batista, apresentem ao órgão federal o comprovante com os respectivos pagamentos dos professores, sendo eles indígenas e não indígenas.

Despacho do Ministério Público Federal:

— —

Com informações da assessoria de imprensa

Foto: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -