26.3 C
Manaus
terça-feira, junho 18, 2024

Treze empresas contratadas pelo governo do Amazonas com contratos suspeitos serão investigadas pela CPI

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz informou que 13 empresas teriam recebido por meio de contratos suspeitos, em dois anos, mais de R$ 500 milhões do Governo do Amazonas

Por

Durante a reunião da CPI da Covid do Senado nesta terça-feira, 29/6, o senador Omar Aziz (PSD), presidente da Comissão, citou o nome de 13 empresas que, segundo ele, teriam recebido ao longo de dois anos, mais de R$ 500 milhões do Governo do Amazonas. Aziz informou que as empresas serão investigadas no âmbito da CPI da Covid.

A afirmação de Aziz ocorreu no decorrer do depoimento do deputado estadual do Amazonas, Fausto Júnior (MDB). O deputado foi convocado a depor na Comissão do Senado por ter sido relator da CPI da Saúde, na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). O senador Omar Aziz afirmou que irá provar o real motivo do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) não ter sido indiciado pela CPI da Saúde do Estado.

De acordo com o senador, as empresas, que são dos segmentos da saúde, construção, manutenção e aluguel de carros, estão relacionadas ao advogado identificado André Luiz Guedes da Silva, que seria o operador dos empreendimentos.

Segundo Aziz, o advogado pedia dinheiro para algumas dessas empresas que teriam ligação com uma conselheira do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), que teria atuado como presidente da corte de contas e também no Fundo de Saúde do Estado. Omar, neste momento, não citou o nome da conselheira, mas supõem-se ser a mãe do deputado Fausto Júnior, conselheira Yara Lins.

As empresas citadas, nominalmente, pelo senador são:

  • Tecway Locação de Equipamentos, CNPJ – 13.392.705/0001-43;
  • TCD Navegação e Transporte, CNPJ – 04.811.052/0004-41;
  • Construtora Matrix, CNPJ – 04.544.085/0001-20;
  • PH Rodrigues, CNPJ – 21.445.930/0001-29;
  • DR7 Comércio e Construção, CNPJ – 01.335.516/0001-50;
  • LBC Conservadora e Serviços, CNPJ – 07.832.566/0001-29;
  • G.A. Comercio e Empreendimentos Ltda, CNPJ – 03.444.788/0001-13;
  • AG Automação e Projetos, CNPJ – 19.639.025/0001-68;
  • BRB Serviços em Saúde Ltda, CNPJ – 19.008.322/0001-05;
  • CC Batista, CNPJ – 18.368.807/0001-47;
  • Nova Renascer Serviços & Comércio Nova Renascer Eireli, CNPJ – 26.804.280/0001-84;

As empresas Pódium e Live também foram citadas pelo senador Omar. Seus respectivos CNPJ não foram encontrados no Portal da Transparência do Amazonas.

Quebra de sigilo – Omar Aziz informou que irá solicitar junto à Procuradoria-Geral da República (PGR) a quebra de sigilos fiscais e bancários das empresas, do advogado André Luiz Guedes da Silva e da conselheira do TCE-AM. O senador destacou ainda que serão solicitadas informações do Governo do Amazonas sobre os contratos com essas 13 empresas.

“Cabe a mim encaminhar à PGR que uma conselheira do TCE-AM seja investigada, porque ela foi, depois de presidente do TCE-AM, relatora da Saúde do Estado. Aqui na CPI iremos mostrar ao Estado do Amazonas a razão pela qual o govenador não ter sido indiciado na CPI da Saúde da Aleam, onde o relator foi o deputado Fausto Júnior”, disse Omar Aziz.

 

—-

Por Lana Honorato

Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -