29.3 C
Manaus
segunda-feira, julho 15, 2024

Arquidiocese realiza ato em memória e por justiça das mais de 500 mil mortes por Covid no Brasil

O arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Steiner, além de lideranças das Pastorais Sociais e Movimentos Eclesiais participaram do ato em memória às vítimas da Covid-19 no Brasil. 

Por

O Conselho de Leigos e Leigas (CALL) da Arquidiocese de Manaus realizou na noite da segunda-feira, 21/6, um ato “Em Memória e por Justiça – 500 velas por 500 mil mortes”, em frente à Catedral Metropolitana de Manaus Nossa Senhora da Conceição, Centro de Manaus. O arcebispo metropolitano de Manaus, Dom Leonardo Steiner, além de lideranças das Pastorais Sociais e Movimentos Eclesiais participaram do ato em memória às vítimas da Covid-19 no Brasil.

“Queremos recordar a irresponsabilidade das autoridades no cuidado nesse tempo pandêmico e acendemos essas 500 velas para simbolizar a presença de todos os que faleceram e que cada vela acesa seja esperança de um Brasil melhor, mais justo e com mais saúde, onde todas as pessoas tenham oportunidade”, afirmou dom Leonardo na abertura do ato.

 

A presidente do CALL, Patrícia Cabral lembrou que o ato foi realizado em várias cidades do Brasil e Manaus, que foi um dos epicentros da pandemia, não poderia ficar de fora. Além disso, é missão de todos leigos e leigas ser voz profética que denuncia as injustiças e a corrupção.

“Infelizmente chegamos a esse número de mais de 500 mil mortos. Desde sábado (19/06), vários municípios estão fazendo esse ato em Memória e Justiça. E queremos reivindicar: comida no prato, vacina no braço, auxílio emergencial de R$600 e Fora Bolsonaro”, reforçou Patrícia Cabral.

Conceição Silva das Escolas de Fé e Política reforçou a necessidade de todos se vacinarem. Só com a vacina para todos é que vamos superar a pandemia. “Sabemos que muitas dessas mortes poderiam ser evitadas. Muitos são enganados com o mito da cura preventiva. Devemos falar com todos que estão próximos para irem se vacinar e com as duas doses, pois muitos não tomam a segunda dose. Precisamos levar a todos o que diz a ciência”, desabafou Conceição Silva.

O professor Jonas Araújo refletiu sobre as centenas de profissionais de educação que sofreram com a Covid-19 e vieram a falecer e destacou o professor doutor Luiz Fernando. “Os professores honram nossos companheiros da educação, que tombaram nessa pandemia, estando em greve em defesa da vida de toda comunidade educativa. Mas mesmo assim, estamos vendo o Governo do Estado fazendo marketing com a vacina para tentar se livrar da CPI”, afirmou.

— —

Com informações da assessoria de imprensa da Arquidiocese de Manaus

Fotos: Luis Miguel Modino / CNBB Norte 1

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -