29.3 C
Manaus
quarta-feira, junho 12, 2024

Moradores buscam Defensoria Pública em busca de ajuda para descaso da Prefeitura de Tefé

Trechos sem asfaltamento, com buracos e muita lama tornam intrafegáveis vias da zona rural de Tefé. Acumulando prejuízos, produtores rurais, comerciantes e moradores acionaram a Defensoria Pública para pedir auxílio na resolução do problemas que se agravam dia após dia

Por

As reclamações dos moradores quanto a trafegabilidade e os impactos na economia local fizeram com que o Polo da Defensoria Pública do Estado Amazonas (DPE-AM), na região do Médio Solimões, requisitasse da Prefeitura de Tefé informações sobre às condições estruturais e de asfaltamento das estradas da Emade e da Agrovila, localizadas na área rural do município.

No documento assinado pelas defensoras e defensores públicos do Polo do Médio Solimões Marcia Fonteles, Flávia Araújo, Lucas Matos e Gustavo Cardoso, a Defensoria solicita da Prefeitura de Tefé informações sobre a real situação e possíveis obras nos locais apontados pelos moradores. A equipe da DPE-AM esteve na estrada da Emade, constatou a existência de trechos sem asfaltamento, buracos e lama.

Conforme o defensor público, Gustavo Cardoso as estradas são de extrema importância para a sociedade tefeense, que diariamente necessita utilizá-las para atividades sociais e laborais. As vias interligam a área urbana e rural facilitando o escoamento da produção agrícola e movimentação do comércio.

Os produtores familiares e prestadores de serviços que dependem dos acessos estariam se sentido prejudicados com a precária condição e a produção agrícola, baseada principalmente em cultivos de mandioca, já estariam sentindo os impactos negativos na economia local.

Segundo Gustavo Cardoso, o assunto é sensível e merece atenção sobretudo no atual contexto da pandemia. “O problema da falta de infraestrutura e asfaltamento impacta também no trabalho de prestadores de serviços que não conseguem acessar as vias ou acabam tendo um custo adicional que inviabiliza a própria atividade econômica, uma vez que as pessoas precisam pagar por uma moto ou um carro de grande porte para transitar na estrada. O impacto financeiro é significativo, sobretudo, no contexto da pandemia que vem empobrecendo a população. Isso gera ao poder público uma obrigação ainda maior de viabilizar esses direitos fundamentais e o próprio sustento das pessoas”, relatou Gustavo.

Infraestrutura – A Defensoria solicitou da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras de Tefé informações a respeito do processo licitatório em curso referente as obras nessas localidades e também quanto a previsão de finalização delas. A DPE-AM pede ainda o envio de relatório detalhando as providências já efetivadas e as previstas para reverter a problemática. Além disso, solicita saber se há um cronograma de asfaltamento e estruturação das estradas da Emade e da Agrovila.

“A Defensoria espera conseguir um diálogo para encontrar soluções positivas, esperamos uma sensibilidade quanto ao pleito, ressaltamos que a população interessada sempre deve ser ouvida durante esse processo”, concluiu o defensor.

— —

Com informações da assessoria de imprensa

Fotos: Divulgação/Ilustração Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -