27.3 C
Manaus
terça-feira, julho 16, 2024

Passagem de Bolsonaro por Manaus movimenta apoiadores e opositores ao governo

Dezenas de pessoas se reuniram na porta do Vasco Vasques para acompanhar a visita do presidente Jair Bolsonaro. Entre aplausos e xingamentos, a Polícia Militar precisou montar um cordão de isolamento para impedir possíveis confrontos

Por

Gritos de mito e genocida puderam ser escutados no entorno do Centro de Convenções Vasco Vasques e da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) nesta sexta-feira, 23/4, durante a passagem do presidente Jair Bolsonaro por Manaus. O presidente esteve na cidade para inaugurar a segunda etapa do centro de convenções e para receber o título de Cidadão do Amazonas, concedido pela Aleam.

Faixas e cartazes dos movimentos sociais e militantes de partidos políticos de esquerda chamaram a atenção dos simpatizantes do presidente e, por vários vezes, os grupos que estavam separados por um cordão de isolamento da Polícia Militar proferiram xingamentos de lado a lado. A polícia precisou intervir em alguns momentos para evitar possíveis confrontos entre os grupos nos dois lugares.

Ao chegar ao Centro de Convenções, Bolsonaro cumprimentou alguns de seus apoiadores. “Eu estava presente, foi maravilhoso. Foi contagiante ver aquelas crianças ali no meio do povo, vendo nosso presidente recepcionando o povo que esperava por ele. Nós temos uma boa oportunidade futura de geração de emprego, turismo, cultura, esporte, educação e muito mais, porque nós temos um presidente honesto”, disse Johnson Sombra, apoiador do presidente.

Nas redes sociais, o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos), que é vice-líder do governo Bolsonaro, acompanhou a comitiva do presidente na cidade e fez uma live do encontro do presidente com seus admiradores.

Opositores – A cessão do título de Cidadão Amazonense gerou revolta entre os opositores ao presidente, que consideraram a decisão da Aleam uma afronta. Advogado e candidato pelo PCdoB à prefeitura de Manaus nas últimas eleições, Marcelo Amil falou ao O Convergente que a visita de Bolsonaro a Manaus foi intempestiva.

“A vinda do Bolsonaro a Manaus é totalmente intempestiva. Nós estamos atrasados no cronograma de vacina e ao invés dele vir aqui fazer fiscela, inaugura obra que começou no governo do PT e recebe um título contestável e ilegal. Ele deveria estar em Brasília comprando vacina, coordenando o Plano Nacional de Imunização (PNI) e agindo como verdadeiro chefe de estado, coisa que ele não fez até hoje”, criticou Amil.

Confira as imagens:

 

__ __ __

Por Juliana Freire

Vídeo: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -