26.3 C
Manaus
quarta-feira, julho 24, 2024

Vereador denuncia falta de assistência a rodoviários no combate à Covid-19

Os rodoviários estariam tendo que arcar por conta própria com máscaras e álcool em gel. Parlamentar solicitou ainda que os profissionais sejam incluídos como prioridade na campanha de vacinação.

Por

As empresas do sistema de transporte coletivo de Manaus não estariam dando assistência a motoristas e cobradores de ônibus no combate à Covid-19. A denúncia foi feita nesta segunda-feira, 5/4, pelo vereador Jaildo Oliveira (PCdoB), durante sessão plenária da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Segundo o parlamentar, os rodoviários estão tendo que comprar máscaras e álcool em gel por conta própria e correm risco de contaminação com o coronavírus, já que convivem diariamente com coletivos lotados. O vereador pediu que os profissionais sejam incluídos como prioridade na vacinação, uma vez que o sistema do transporte coletivo também é considerado como serviço essencial.

“No começo as empresas forneciam os materiais para os funcionários. Hoje isso não acontece. As vezes o sindicato ajuda. Essa situação é preocupante, pois sabemos do risco de uma terceira onda da doença. Muitos pesquisadores tem falado isso”, afirmou.

Órgãos de fiscalização – O vereador disse que já enviou vários documentos para os órgãos fiscalizadores, como o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) para que a questão da vigilância seja revista, no entanto, nada teria sido feito até o momento.

“Se a gente for nas garagens na madrugada a gente vê como é. Esses trabalhadores correm risco todos os dias. Muitos já morreram vítimas de Covid-19 e outros convivem com o medo. Por isso, a gente precisa priorizar esses profissionais na campanha de vacinação. Assim como outros profissionais entraram na prioridade, a gente pede ao Governo do Estado que eles olhem para esses profissionais”, destacou o parlamentar.

A campanha de vacinação, porém é de responsabilidade das prefeituras municipais, que seguem o calendário de grupos prioritários estabelecidos pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde (MS), pelo Plano Nacional de Imunização (PNI).

Para o vereador Caio André (PSC), a situação merece de fato atenção, mas não seria definida pelo governo do estado. “Sobre a vacinação dos cobradores e motoristas de ônibus, eles realmente nunca pararam na pandemia e precisam se imunizar. No entanto, ao contrário do que o vereador Jaildo propõe, ao Governo do Estado não cabe escolher as prioridades. Infelizmente eles não têm autonomia para escolher as prioridades e sim o Ministério da Saúde, pelo PNI”, reforçou.

Até o fechamento desta edição, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) não havia respondido aos questionamentos feitos pela reportagem.

Por Izabel Guedes

Foto: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -