29.3 C
Manaus
sexta-feira, julho 12, 2024

Governo Lula garante pavimentação, mas condutores relatam retirada de asfalto na BR-319

Segundo o denunciante, a estrada segue sem pavimentação até o quilômetro 198 da rodovia

Por

Apesar do Governo Federal firmar o compromisso de retomar a pavimentação da rodovia BR-319, condutores relatam que o asfalto em alguns trechos da rodovia federal estão sendo retirados. A estrada é o único meio que liga o Amazonas ao resto do Brasil por via terrestre.

De acordo com uma denúncia recebida pelo O Convergente, condutores que trafegam no Km 180 da Rodovia BR-319, próximo à ponte do Tupana, sentido Manaus/Porto Velho, apontaram que o asfalto da rodovia estava sendo retirado. Ainda segundo o denunciante, a estrada segue sem pavimentação até o quilômetro 198 da rodovia, o mesmo quilômetro que está no plano de obras do governo federal.

Com o trecho da rodovia inteiro no barro, o denunciante ainda alerta sobre a trafegabilidade na via em casos de chuva, uma vez que pode ocasionar acidentes.

Recuperação

Em junho, o Ministério dos Transportes publicou o relatório sobre obras de recuperação da BR-319. O documento aponta que há viabilidade para as intervenções no que é conhecido como Trecho do Meio, que vai da Ponte sobre o Rio Jordão ao entroncamento com a BR-230 (km 250 ao km 655,7). E também na Linha C-1, que inclui a travessia do Rio Tupana (km 177,8 ao km 250).

Para o mês de julho, ficou estabelecido o início de uma série de reuniões para a elaboração de Acordos de Cooperação Técnica, entre o Ministério dos Transportes, autoridades do governo estadual e órgãos de controle ambiental.

Os debates sobre a recuperação da via se intensificaram no ano passado, após o Amazonas enfrentar uma seca histórica. Depois de pressão dos políticos do Amazonas para a recuperação da BR-319, o trecho do meio da BR-319, um dos mais críticos da rodovia, foi incluído no Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA). Com isso, a recuperação da via ficou estabelecida para ocorrer no período de 2024 a 2027.

Um dos principais impasses para a retomada das obras na rodovia era a polêmica do ‘trecho do meio’, que possui 405 quilômetros de extensão e corresponde à área com maior adensamento vegetal da BR-319.

Outro lado

Com a denúncia recebida, O Convergente entrou em contato com a assessoria de comunicação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, bem como também entrou em contato com o superintendente do DNIT no Amazonas, para esclarecimentos. Até a publicação deste material, não houve retorno. O espaço segue aberto para justificativas.

Leia mais: Com pressão pela liberação e parecer do Ministério dos Transportes sobre a BR-319, Marina Silva participa de congresso ambiental em Manaus

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -