31.3 C
Manaus
sexta-feira, julho 12, 2024

Aprovado nas comissões da CMM, vereadores repercutem veto de David Almeida sobre PL de autoria da oposição

Em votação, o veto de David Almeida foi mantido, uma vez que os vereadores não conseguiram formar maioria para derrubá-lo

Por

Apesar da aprovação nas comissões da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o prefeito David Almeida (Avante) vetou o Projeto de Lei 620/2021, que cria a Feira Internacional de Pesca Esportiva em Manaus, de autoria do vereador William Alemão (Cidadania). Na sessão plenária desta segunda-feira (17), os parlamentares repercutiram o assunto e comentaram sobre a postura do prefeito em relação ao veto.

Conforme a proposta, além da criação do evento, a lei também pedia a inclusão da feira no calendário oficial do município. Ao falar sobre o veto, William Alemão afirmou que a feira traria benefícios para a economia local e para o turismo em Manaus.

“Ao meu ver, a discordância do prefeito com o meu projeto de lei, que passou por todas as comissões, se dá unicamente pela oposição que eu estou fazendo na Câmara Municipal de Manaus. Ele já demonstrou algumas vezes que não gosta de ser questionado, mas se apequena em não deixar de lado questões pessoais”, disse.

Após o veto do prefeito, o projeto retornou ao plenário da CMM nesta segunda-feira, onde foi colocado em votação para decidir se o veto seria mantido ou derrubado. Antes da votação, alguns parlamentares se manifestaram sobre a decisão de David Almeida.

O vereador Bessa (PSB) destacou os benefícios que a criação do evento traria para a cidade de Manaus. “Isso vai ser feito no âmbito da secretaria, vai atrair patrocinadores, isso é muito importante, a porta de entrada é Manaus. Sabemos que Manaus ainda precisa de investimentos […]. Essa feira acontecendo aqui vai gerar emprego e renda, vai ser um atrativo”, defendeu o vereador.

Na tribuna, o vereador Lissandro Breval (PP) criticou a postura de David Almeida e alegou que o veto da gestão municipal impede novos atrativos turísticos de gerar renda local.

“Esse veto, principalmente, é resultante de uma política pequena, medíocre, que não vê nossa cidade como um grande polo de turismo […]. Vetar um evento tão importante, internacional, é deixar de gerar estadia nos hotéis, movimento nos restaurantes da nossa cidade, deixar de gerar experiência internacional”, afirmou.

Ao falar sobre o assunto, o vereador Rodrigo Guedes (PP) relembrou que o projeto não recebeu votos contrários na primeira vez que foi votado, além de ter sido analisado e aprovado pelas comissões da Casa.

“Não vejo nenhum motivo para manter o veto do prefeito, já que este Parlamento já se manifestou em todas as instâncias sobre esse projeto de lei, sem nenhuma manifestação contrária”, pontuou.

Votação

Apesar dos posicionamentos dos vereadores de oposição, com a presença de 40 vereadores no plenário, o veto do prefeito David Almeida sobre o projeto de lei foi mantido.

Na votação, 20 parlamentares se posicionaram contra o veto e 12 foram a favor. Para derrubar o veto estabelecido pelo prefeito de Manaus, os vereadores precisariam de 21 votos.

Leia mais: Base mantém veto ao PL que obriga gestão de David Almeida a ter medidas para consumo de água e energia

___

Por Camila Duarte

Ilustração: Marcus Reis

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -