26.3 C
Manaus
domingo, maio 26, 2024

Dr. George Lins pleiteia Prato Cheio para auxiliar famílias de Fonte Boa

A expectativa é de que a implementação do Programa em Fonte Boo garanta a segurança alimentar e o bem-estar das famílias vulneráveis do município

Por

Com o objetivo de mitigar os problemas sociais da população vulnerável de Fonte Boa (distante a 677 quilômetros da capital Manaus), o deputado estadual Dr. George Lins (União Brasil) encaminhou requerimento ao Governo do Estado solicitando a implantação de uma unidade do Programa Alimentar Prato Cheio, no município situado no Alto Solimões.

O programa Prato Cheio, sob a gestão da Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental (Aadesam), tem sido um importante instrumento na luta contra a insegurança alimentar em todo o Estado do Amazonas.

A solicitação do Dr. George Lins contemplou exposição de motivos encaminhada ao seu gabinete pelo ex-deputado estadual Belarmino Lins (União Brasil) alertando sobre a premência da implantação do programa alimentar em Fonte Boa. “Os argumentos do nosso querido Belão fundamentaram e reforçaram o nosso requerimento ao governador Wilson Lima”, disse Dr. George.

O requerimento visa direcionar a assistência social devida às famílias carentes de Fonte Boa, proporcionando-lhes acesso regular a alimentos básicos e contribuindo para a melhoria de suas condições de vida.

“Confiamos na sensibilidade do governador Wilson Lima, assim como da titular da Seas, Kely Patrícia, e da Aadesam, na viabilização da implantação efetiva do programa em Fonte Boa”, destaca o deputado.

A expectativa é de que a implementação do Programa Prato Cheio em Fonte Boa garanta a segurança alimentar e o bem-estar das famílias vulneráveis do município.

Sobre o programa

O programa social é destinado a atender as pessoas em situação de vulnerabilidade, entre os quais desempregados, pessoas com deficiência, trabalhadores informais e mulheres que chefiam famílias e que se encontram em situação de extrema pobreza, pobreza ou baixa renda.

O programa é dividido em dois serviços distintos: nos restaurantes populares, o almoço é vendido pelo valor simbólico de R$ 1, de segunda a sexta-feira, das 11h às 13h. Nas cozinhas populares, a sopa é gratuita e cada pessoa atendida tem direito a 1 litro do alimento, de sabores variados, de segunda a sábado, também das 11h às 13h.

*Com informações da assessoria

Foto: Divulgação Assessoria

Leia mais: Deputados evitam assumir relatoria no caso contra Brazão no Conselho de Ética

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -