26.3 C
Manaus
quarta-feira, abril 24, 2024

Vice-prefeito de Borba denuncia Simão Peixoto ao MPF por irregularidades em transporte escolar do município

De acordo com a denúncia, os serviços foram paralisados por conta da falta de pagamento de combustível pela Prefeitura de Borba

Por

Sob o holofote das polêmicas, mais uma vez, o prefeito de Borba Simão Peixoto (PP) foi alvo de denúncias do vice-prefeito José Pedro (PSD). Nos últimos meses, os dois têm protagonizado uma briga política, sob acusações de perseguição e, até mesmo, medida protetiva.

Desta vez, o prefeito de Borba foi denunciado ao Ministério Público Federal (MPF) por conta de irregularidades no transporte escolar do município. Conforme a denúncia apresentada por Zé Pedro, a Prefeitura de Borba não teria pagado o valor de quase R$ 900 mil à empresa prestadora de serviços, que paralisou o transporte deixando dezenas de crianças sem ter como ir à escola.

Conforme o documento apresentado pelo vice-prefeito ao MPF, “o transporte escolar do município de Borba está paralisado ante ao não pagamento de combustível pela prefeitura de Borba, e que é importante mencionar que uma única empresa foi contratada para realizar o transporte de todos os alunos da rede municipal, inclusive, em zona urbana e rural, em ambiente terrestre e fluvial”.

No documento, o vice-prefeito pede que o MPF acolha a denúncia e afaste Simão Peixoto do cargo de prefeito de Borba, além de regularizar a prestação de serviços de transporte escolar na cidade e exija que o município garanta que apenas os motoristas que obtenham registro legal possam conduzir os veículos.

“É crucial que, diante desse contexto, sejam tomadas medidas rigorosas de fiscalização, controle e transparência para salvaguardar os interesses do município de Borba e garantir que os recursos públicos sejam utilizados de maneira adequada em benefício da comunidade local”, concluiu.

Medida protetiva

No final do mês de outubro, o vice-prefeito Zé Pedro Graça solicitou uma medida protetiva contra o prefeito Simão Peixoto.

De acordo com o documento, o pedido feito pelo vice-prefeito de Borba é para assegurar a integridade física e protegê-lo das ameaças e possíveis atos de violência. Ainda, conforme a solicitação, Simão Peixoto é impedido de manter contato com Zé Pedro, além de ter que ficar no limite máximo de até 300 metros de distância. Caso descumpra as ordens, ele pode ser preso.

O pedido de Zé Pedro solicita também que, caso não seja aceita a medida protetiva, que Simão Peixoto não se aproxime do vice-prefeito e da família dele em um limite máximo de até 500 metros, sob pena de prisão em caso de descumprimento.

O clima tenso entre ambos já ocorre há meses. No episódio mais recente, Zé Pedro disparou críticas ao prefeito de Borba e o acusou de perseguição contra ele e servidores que o apoiaram quando ele assumiu a prefeitura do município.

O Convergente procurou a defesa de Simão Peixoto em busca de esclarecimentos a respeito da denúncia e aguarda retorno. O vice-prefeito também foi procurado, mas a equipe de reportagem não obteve resposta. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

Leia mais: Alvo de processos do TRE-AM, Simão Peixoto é intimado a esclarecer sobre novas condições judiciais

___

Da Redação

Revisão textual: Vanessa Santos

Ilustração: Giulia Renata Melo

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -