27.3 C
Manaus
quinta-feira, abril 18, 2024

Israel autoriza entrada de ajuda humanitária pelo Egito

A decisão foi tomada, segundo o gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, após um pedido de Joe Biden

Por

Israel autorizou, nesta quarta-feira (18/10), a entrada de ajuda humanitária na Faixa de Gaza pelo Egito. A decisão foi tomada, segundo o gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, após um pedido de Joe Biden, presidente dos Estados Unidos.

Biden havia dito, antes, que Israel havia concordado em deixar o Egito enviar ajuda humanitária ao povo de Gaza, com a condição que a ajuda não seja para membros do Hamas, grupo extremista que controla a região.

Um porta-voz do governo do Egito disse que os dois países estavam em coordenação com organizações humanitárias internacionais sob a supervisão da Organização das Nações Unidas (ONU) para garantir a chegada de ajuda.

O gabinete do primeiro-ministro israelense disse, num comunicado, que “não impedirá” as entregas de alimentos, água e medicamentos, desde que os itens não cheguem ao Hamas. O comunicado de Israel não menciona o envio de combustível, essencial para funcionamento dos geradores que suprem a falta de energia em Gaza, inclusive em hospitais.

O início dessa ajuda não ficou claro, já que a passagem de Rafah, no Egito, é limitada e, o país afirma que foi danificada por ataques aéreos israelenses. Biden disse que o acesso provavelmente começa na sexta-feira (20), após o conserto da estrada em Rafah, segundo a “Al Jazeera”.

Israel afirmou ainda que não vai permitir entregar através do seu território, que abrange a maioria das passagens para Gaza. Também exigiu que a Cruz Vermelha Internacional fosse autorizada a visitar israelenses raptados e mantidos em cativeiro em Gaza.

Biden esteve em Israel

O presidente americano desembarcou, nesta quarta, em Israel e se reuniu com Benjamin Netanyahu para discutir o processo. Ele anunciou apoio financeiro de 100 milhões de dólares em ajuda humanitária a Gaza, além de um pacote “sem precedentes” para a defesa de Israel contra o Hamas. A declaração foi feita durante um discurso em Tel Aviv.

Durante a reunião, Biden ainda afirmou que os EUA irão fornecer tudo que Israel precisa para se defender. Ele afirmou ainda que os atos do Hamas, que começaram em 7 de outubro, lembram os piores ataques do Estado Islâmico, e comparou a incursão com o 11 de setembro de 2001, quando aviões controlados por terroristas se chocaram contra as torres gêmeas, em Nova York.

Leia mais: Conselho da ONU rejeita resolução brasileira para o conflito entre Israel e Hamas

__

Por July Barbosa

Revisão textual: Vanessa Santos

Foto: Divulgação

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -