26.3 C
Manaus
terça-feira, abril 23, 2024

Bancada federal do AM dispara críticas contra Marina Silva por posição sobre a BR-319

Ao O Convergente, o analista político Carlos Santiago avaliou que as narrativas refletem no posicionamento dos políticos para eleições futuras

Por

Logo após o encontro de representantes do Governo do Amazonas com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, alguns parlamentares que compõem a bancada federal amazonense usaram as redes sociais para criticar a ministra, com relação às ações do governo sobre a BR-319.

A BR-319, que seria uma opção para ligar os amazonenses ao resto do Brasil por meio de rodovias, tem sido um grande dilema há décadas. Isso porque a estrada não possui uma boa condição de trafegabilidade, faltando a conclusão de alguns trechos, além de reparos que não são feitos há anos.

Com a severa estiagem que atinge o Amazonas, os parlamentares defendem que a rodovia federal poderia ser um meio utilizado para reverter o impacto da força da natureza. Nas redes sociais, o deputado federal Capitão Alberto Neto (PL) afirmou que a ministra Marina Silva é “inimiga” do Amazonas.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o parlamentar discursa na tribuna da Câmara dos Deputados e relembra quando o Amazonas precisou de oxigênio, que não conseguiu chegar rapidamente por conta da dificuldade de logística de transporte.

“Hoje o nosso povo padece, ministra Marina, padeceu na pandemia, vocês viram as imagens, os horrores dos caminhões tentando chegar na cidade de Manaus e muitos morreram por causa disso. Muitos morreram por causa dessa política ambiental, desmedida, xiita que tem isolado o povo do Amazonas”, disparou.

Outro parlamentar que teceu críticas à ministra foi o senador Omar Aziz (PSD). Apesar de ser aliado do governo Lula, o parlamentar disparou que a “culpa” cairia sob a responsabilidade de Marina Silva, caso os amazonenses passassem fome no período de estiagem.

“Pois eu declaro que, se algum amazonense passar fome, a culpada é a senhora ministra Marina Silva, que por vaidade não permite a recuperação da BR-319 e sentencia o Amazonas ao isolamento”, escreveu nas redes sociais.

Sem citar nomes, o senador Eduardo Braga (MDB) foi outro que comentou sobre o assunto. Ele afirmou que foi impossível segurar a revolta por saber tudo o que os amazonenses estão sofrendo por conta da estiagem, que poderia ser revertido, caso tivesse condições de trafegabilidade na rodovia federal.

“Se o único acesso terrestre entre a capital amazonense e o resto do Brasil estivesse devidamente asfaltado, como reivindicamos há muito tempo, não veríamos milhares de amazonenses enfrentarem tantas dificuldades sociais, econômicas e ambientais, que acabam se agravando em função da seca”, escreveu.

O deputado federal Saullo Vianna (União Brasil) também repercutiu o assunto dos demais colegas de bancada, mas não citou a ministra Marina Silva, embora tenha cobrado o presidente Lula sobre as ações na rodovia. Para ele, a recuperação da BR-319 poderia amenizar os impactos logísticos causados pela estiagem no Amazonas.

“A gravidade desta situação que estamos passando no Amazonas expõe as nossas dificuldades e a importância de termos uma via de ligação com o país. Se hoje tivéssemos a BR-319, muitos destes problemas não seriam tão graves, porque teríamos outro modal para que as pessoas pudessem ir e vir e para que nosso estado pudesse ser abastecido”, afirmou.

Críticas indicam posicionamento

Ao O Convergente, o analista político Carlos Santiago apontou que os comentários dos políticos sobre a BR-319, à ministra Marina Silva e às ações do governo federal demonstram um possível cenário para as futuras eleições.

“Nesse movimento de aproximação com o governo federal, indicando inclusive cargos nos estados, mas promovendo críticas é um sinal claro de que as futuras eleições estão influenciando nas decisões e narrativas dos atuais políticos do Amazonas que estão no Congresso Nacional, mas que também estão nos governos e nos Parlamentos do Estado”, explicou.

Ao comentar a fala do senador Omar Aziz, Santiago relembrou que o senador tem interesses de voltar a comandar o Estado do Amazonas, conforme noticiou O Convergente, e, por essa razão, tem cobrado medidas rápidas, mas exagera ao criticar o governo aliado.

“Omar Aziz deve cobrar medidas rápidas para conter os prejuízos causados por problemas ambientais. No entanto, quando ele exagera as críticas contra um governo aliado, ele quer ficar bem com o governador, bem como com os prefeitos e com o eleitorado. Omar tem desejo de voltar a governar o Amazonas”, comentou.

Para o analista, é necessário saber se o governo Lula possui recursos para trabalhar na BR-319 e honrar os compromissos. “É preciso saber se o governo federal tem, atualmente, recursos necessários para a realização de uma grande obra na BR-319 Parece que não, o governo tem baixa arrecadação, tem problema de caixa, para honrar os seus compromissos”, pontuou.

Leia mais: Wilson Lima embarca para Brasília com o objetivo de garantir apoio às famílias afetadas por estiagem no AM

___

Por Camila Duarte

Revisão textual: Vanessa Santos

Ilustração: Marcus Reis

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -