26.3 C
Manaus
quarta-feira, abril 24, 2024

Suspeito de estupro, assédio e importunação sexual, ex-secretário do município de Manacapuru tem prisão decretada

O Portal O Convergente recebeu o relato de uma pessoa que preferiu se manter em anonimato que falou “Ele assediava sexualmente as vítimas na qualidade de superior hierárquico delas”

Por

O pastor e ex-secretário municipal de assistência social da Prefeitura de Manacapuru, Rosinaldo Cavalvante Moura, teve prisão decretada pela 1.ª Comarca de Manacapuru do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), no último sábado, 17, após denúncias de crimes de estupro de vulnerável, assédio e importunação sexual contra cinco mulheres no município.

De acordo a delegada Roberta Merly, titular da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Manacapuru, Rosinaldo Cavalcante usava do cargo para cometer os crimes. “Uma das vítimas trabalhava diretamente com o secretário e ela nos procurou para dizer que sofria assédio sexual e foi vítima de importunação sexual”, contou.

“Depois da ida dela até a delegacia, outras vítimas tomaram coragem e o denunciaram também, já foram várias vítimas ouvidas pela gravidade do crime e pelo cargo que o suspeito ocupava e se utilizava desse cargo para poder intimidar as vítimas e cometer o crime”, informou a titular.

Rosinaldo foi exonerado do cargo um dia antes do mandado de prisão ser expedido, no dia 16 de junho. “Por se tratar de processo em segredo de Justiça, a Prefeitura Municipal de Manacapuru não se pronunciará formalmente sobre o caso, aguardando a conclusão da instrução persecutória da investigação, garantindo a independência e prerrogativas dos profissionais que estão atuando no caso”, disse a prefeitura por meio de nota.

A Polícia suspeita que o acusado tenha recebido informações privilegiadas a respeito do mandado, se encontrando hoje foragido da Justiça.

O Portal O Convergente recebeu informações de uma fonte que preferiu não se identificar para não atrapalhar as investigações. Segue o relato: “Era secretário de assistência social e era pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas – IADAM em Manacapuru. Ele assediava sexualmente as vítimas na qualidade de superior hierárquico delas, funcionárias da secretaria de assistência e oferecia vantagens financeiras em troca de sexo e um dos casos, assim, foram 5 denúncias até o presente momento, um dos casos trata especificamente de um crime cometido há cerca de 10 anos, 2011 perdão, foi cometido em 2011 quando a vítima tinha apenas 12 anos, ele era pastor numa localidade de Manacapuru e a vítima com 12 anos era perseguida por ele pelo caminho da escola, em uma dessas oportunidades ele forçou a garota a entrar, a criança melhor dizendo, a entrar no carro dele mostrando uma arma para ela e nesse momento levou ela para a casa dele e a estuprou, praticou enfim diversos atos com ela, criminosos, né? E hoje essa menina, ela sofre com sequelas até hoje assim, emocionais, psicológicas, e ficou durante muitos anos calada, porque ela recebeu muita pressão juntamente com a família que são muito pobres e da igreja né do qual ele é membro até então, para calá-los mesmo, pastores, é um cenário bem complicado”.

Leia mais: Equipamentos e suprimentos de informática vão custar mais de R$ 9,4 milhões em Manacapuru

__

Por July Barbosa

Correção textual: Vanessa Santos

Foto: Divulgação / Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -