25.3 C
Manaus
sábado, maio 25, 2024

Estudo mostra ‘hegemonia’ nos laços familiares na política do Pará, entre eles a dos ‘Barbalhos’

Levantamento foi feito pelo Laboratório de Estudos Geopolíticos da Amazônia Legal (LEGAL) e divulgado em setembro do ano passado, pontuando o vínculo familiar e política ao longo de décadas entre parlamentares da Alepa e demais políticos do Estado

Por

Um estudo realizado pelo Laboratório de Estudos Geopolíticos da Amazônia Legal e divulgado em setembro do ano passado mostrou que parte da composição dos 41 deputados da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) da 60ª legislatura (2019-2023) era vindouro de “famílias políticas” do Estado, 12 deles (29,3%) tinham algum nome vinculados a outros políticos que já exerceram cargos eletivos ou que exerciam no período do estudo.

O estudo foi feito pelos pesquisadores Bruno de Castro Rubiatti, Carlos Augusto Souza, Rodrigo Dolandeli, Raimunda Eliene Silva, Mariana Costa que mapearam a biografia política dos deputados, naquela ocasião, com políticos de outros períodos. Entre as famílias citadas no estudo está a do governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), que vem ao longo dos tempos tendo participação familiar na política local.

Conforme o levantamento, a família Barbalho teve seu primeiro nome representado politicamente por Laércio Wilson Barbalho, eleito deputado estadual e teve seu mandato cassado após 1964. O sucessor foi seu filho, o atual senador Jader Barbalho (MDB), que é pai do governador Helder Barbalho. Jader ocupou cargos políticos em todas as esferas: vereador da cidade de Belém, deputado estadual, deputado federal e governador do Pará, tendo iniciado sua carreira política em 1967 e estando atuante até o presente, conforme aponta o estudo.

Já Helder Barbalho, atual governador do Pará, foi vereador em Ananindeua, prefeito da mesma cidade, deputado estadual, ministro de Estado e governador do estado do Pará.

Ainda segundo o estudo, Jader Barbalho emplacou outros nomes do clã na política, como de suas ex-esposas Elcione Barbalho e Simone Morgado. Elcione é a mãe do atual governador. Ela já ocupou o cargo de vereadora em Belém e deputada federal. Já Simone Morgado ocupou os cargos de vereadora em Bragança, deputada estadual e deputada federal, mostrando uma hegemonia política familiar no Pará.

Outros nomes

O estudo também cita outros nomes cujas famílias políticas passam de geração em geração. Entre os nomes citados estavam o de Dilvanda Faro (PT); Diana Belo (MDB), Alex Santiago; Michele Begot (PSD); Adriano Coelho (PDT) Igor Normando (PODE); José Maria Tapajós (PP); Wenderson Azevedo Chamon; Cilene Couto (PSDB); Gustavo Sefer (PSD); Miro Sandova (PDT) e Thiago Araújo (Cidadania).

Confira o estudo e a linha familiar traçada pelos pesquisadores entre os políticos do estado. AQUI!

Retorno

O Portal O Convergente procurou a família Barbalho (Jader – senador e Helder, governador) para saber sobre essa hegemonia política no estado e se isso era visto de forma positiva pelos dois políticos. No entanto, não houve retorno das informações até a publicação da reportagem.

Sobre o Laboratório 

O laboratório foi criado em outubro de 2021 sob a coordenação geral do pesquisador e professor Dr. Fabiano Santos, do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ), do vice coordenador geral, pesquisador e professor Dr. Ivan Silva, da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e de um comitê gestor formando por pesquisadores e pesquisadoras vinculados às universidades situadas na Amazônia Legal:

  • Acre: Profa. Dra. Luci Maria Teston, da Universidade Federal do Acre (UFAC);
  • Amapá: Prof. Dr. Ivan Silva, da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP);
  • Amazonas: Profa. Dra. Marilene Freitas e Prof. Dr. Ludolf Waldmann Júnior, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM);
  • Maranhão: Profa. Dra. Arleth Borges, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA);
  • Mato Grosso:  Prof. Dr. Raimundo França, da Universidade Estadual do Mato Grosso (UNEMAT);
  • Pará: Prof. Dr. Carlos Souza e Prof. Dr. Rodrigo Santos, da Universidade Federal do Pará (UFPA);
  • Rondônia: Prof. Dr. João Paulo Viana, da Universidade Federal de Rondônia (UNIR);
  • Roraima: Prof. Dr. Roberto Ramos Santos, da Universidade Federal de Roraima (UFRR);
  • Tocantins: Profa. Dra. Cynthia Miranda, da Universidade Federal do Tocantins (UFT).
Leia mais: Pará: Justiça pede anulação de nomeação de Daniela Barbalho, esposa do governador

 

Da Redação com informações Legal

Fotos: Divulgação / Ilustração: Marcus Reis

Revisão Textual: Vanessa Snatos

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -