25.3 C
Manaus
quarta-feira, maio 29, 2024

Fiocruz Amazônia, Condisi e Dsei ofertam curso online para capacitar conselheiros indígenas de saúde no combate a Covid-19

As inscrições do curso podem ser feitas a partir do próximo domingo, 20/2, até o dia 4 de março, no site do Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi). A capacitação, feita de forma inédita no formato de Ensino a Distância (EAD), será gratuita e tem como objetivo qualificar conselheiros indígenas de saúde e reforçar os cuidados para o combate da Covid-19 em 252 aldeias, situadas no Amazonas

Por

O Instituto Leônidas e Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) em parceria com o Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi) e o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), irá realizar de 7 a 11 de março deste ano, um curso com objetivo de capacitar os conselheiros indígenas de saúde e reforçar os cuidados para o combate da Covid-19 em 252 aldeias, de 49 etnias, situadas no Estado. O curso será em formato online, e as inscrições podem ser feitas a partir do próximo domingo, 20/2, até o dia 4 de março, por meio do link do formulário de inscrição disponível no site do Condisi. O curso terá duração de uma semana, com início no dia 7 de março e segue até o dia 11.

O curso, que está sendo coordenado pela doutora em Saúde Pública e pesquisadora do ILMD/Fiocruz Amazônia, Kátia Maria da Silva Lima, será gratuito. Segundo a pesquisadora, o diferencial da capacitação é que ela será feita, de forma inédita, no formato de Ensino a Distância (EAD), por meio do aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp, por ser a plataforma digital mais utilizada no Amazonas por conta da instabilidade dos serviços de internet.

De acordo com Kátia Lima, os materiais utilizados na capacitação, bem como materiais educativos, ficarão disponíveis também do site da Condisi/Manaus (https://condisimanaus2021.wixsite.com/ambienteesadenaamazn), entre eles uma cartilha com conteúdo lúdico-didático, baseado na realidade sociocultural dos indígenas para atuação dos conselheiros nas ações de combate a Covid-19.

“O objetivo do curso é fazer com que os conselheiros estejam com informações corretas e precisas para repassarem nas aldeias, evitando fake news e incentivando também a vacinação. Nós tivemos muito êxito no Dsei em relação a vacinação, a não rejeição, mas isso depende de todo um trabalho que tem que ser feito dentro das aldeias”, reforça Kátia Lima.

A , destacou a importância da parceria com o ILMD/Fiocruz Amazônia, ressaltando que o projeto chegou em boa hora. “Falar do projeto Fiocruz, é falar o quanto foi importante a parceria do Dsei Manaus, Controle Social e Fiocruz. Nós ganhamos conhecimento. A doutora Kátia, com a doutora Fábiana Vinente, foram ‘parceironas’ nossa, principalmente nos medicamentos da nossa tradição que estávamos perdendo, elas foram lá incentivaram, e a gente só ganhou com isso”, afirmou Simone, que é indígena da etnia Mura.

O coordenador-geral do Dsei/Manaus, Januário Neto reforçou que o conselheiro indígena tem um papel importante na proteção dos Aldeados.

“É importante que o conselheiro entenda qual o papel dele, que ele não tem somente direitos, mas deveres também. Deveres com a comunidade, com a sociedade e sobretudo deveres sanitários em relação a proteção do seu povo. E graças a essa parceria, a gente consegue hoje ter um controle social informado, ciente das suas obrigações e operacional”, frisou o coordenador-geral.

O assessor indígena do Dsei/Manaus, Turi Sateré ressaltou a relevância do curso para os conselheiros das aldeias e reforçou a extensão do projeto. “Essa formação é muito importante para a gente ter esse contato próximo com a liderança, ver a real dificuldade deles. Nós, como assessores, aprendemos muito com a capacitação, estávamos vivenciando um novo retrato durante a pandemia. Os conselheiros que vão se capacitar, terão outro pensamento, um novo caminho. A gente só agradece a Fiocruz, Condisi e o Dsei Manaus. É um projeto que tem muita caminhada e esperamos outras formações, que isso continue com um treinamento anual ou então semestral, porque é preciso”, declarou.

Capacitação – Conforme a coordenadora da capacitação, o curso será divido em quatros unidades. A primeira etapa vai trabalhar sobre o conceito de saúde no Sistema Único de Saúde (SUS), a segunda parte da capacitação vai abordar sobre a política de saúde indígena. Já na terceira unidade, será enfatizado o trabalho sobre o controle social e o papel do conselheiro indígena nas aldeias. Na quarta etapa será desenvolvido o tema da Covid-19, com as medidas de prevenção e vacinação, no combate à doença.

As inscrições para o curso de Capacitação de Conselheiros Indígenas de Saúde do DSEI/Manaus, podem ser feitas no link do formulário de inscrição, no site da Condisi/Manaus: https://forms.gle/2mUDuwgxKcLiw3H17

Cartilha – Após aprovação e elaboração da cartilha, os desenhos foram feitos por um indígena da etnia Munduruku. A cartilha foi editada e distribuída para os indígenas do Dsei/Manaus. Ela será lançada de forma digital durante o curso e poderá ser acessada no site do Condisi, Dsei e nas redes sociais de ambos os órgãos.

Entre os assuntos compartilhados na cartilha, estão orientações de como proteger a aldeia da Covid-19; a importância de manter o calendário vacinal atualizado; medidas de proteção, como uso contínuo de máscara, álcool em gel, e também reforça o conhecimento tradicional dos indígenas, como remédios caseiros que podem ajudar no combate, mas que não substituem o tratamento médico.

 

 

—–

Por Eriana Monteiro

Fotos/Ilustrações e vídeo: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -