26.3 C
Manaus
sexta-feira, maio 17, 2024

Candidatura de Keitton Pinheiro, em Coari, pode ser cassada

A ação de impugnação de registro de candidatura de Keitton Pinheiro foi solicitada pelo seu principal rival no pleito, o candidato Robson Tiradentes. Na ação, o solicitante alega que Keitton participou da chapa que causou a invalidade da eleição de 2020, em Coari

Por

A Justiça Eleitoral pode cassar a coligação “Unidos por Coari”, na chapa encabeçada pelo ex-vice-prefeito do município, Keitton Pinheiro (PP). Ao lado do candidato a vice, o vereador Edilson Lima (Republicanos) Keitton busca manter a manutenção da família Pinheiro no município.

A ação de impugnação de registro de candidatura foi impetrada na 8ª Zona Eleitoral de Coari pela coligação “Ficha Limpa para Coari”, liderada pelo candidato Robson Tiradentes (PSC). No documento, o requerente alega que Keitton Pinheiro, busca registro de candidatura a cargo majoritário em eleição suplementar pouco tempo depois de ter participado da chapa que causou a invalidade da eleição de 2020, violando o Código Eleitoral, uma vez que Keitton foi eleito vice-prefeito de Coari, tendo como prefeito o primo, o ex-prefeito do município Adail Pinheiro Filho (PP).

“A responsabilidade do impugnado é, pois, inconteste porque mesmo sabedor da inelegibilidade fulminante do seu primo e cabeça da chapa, defendeu a validade da mesma até a última instância, mesmo ciente da unicidade da candidatura, nos termos do artigo 91 do Código Eleitoral que, consoante sucessivos precedentes, implica o indeferimento do registro de vice candidato por incompatibilidade do titular e vice-versa, visto que as chapas majoritárias possuem natureza monolítica e indivisível”, diz um trecho do documento.

Ainda no pedido, o solicitante alega que a candidatura de Keitton Pinheiro é uma clara tentativa de burlar as limitações constitucionais à concentração de poder nas mãos de monopólios familiares.

“No mérito, o indeferimento integral do pedido de registro de candidatura feita por Keitton Wyllyson Pinheiro Batista, em virtude de ter dado causa à invalidade do pleito municipal anterior e ser, nos termos da jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral e da mais abalizada doutrina, impossibilidade de participar das Eleições Suplementares”, pede o requerente.

Confira o documento aqui

Outro Lado – Por meio de material divulgado pela assessoria de imprensa, Keitton Pinheiro informou que a tentativa de impugnação da candidatura dele é improcedente e uma tentativa de golpe. O candidato alegou que os opositores ignoram propositalmente que o registro indeferido que gerou a nova eleição em Coari foi apenas a do primo, o ex-prefeito Adail Filho e não a dele.

Keitton explicou que o Tribunal Superior Eleitoral já deixou claro que essas causas são personalíssimas e não atinge o companheiro de chapa, estando ele devidamente apto para disputar o pleito. Além disso, o candidato destacou que grupo a qual pertence nunca perdeu no voto em Coari.

“As únicas oportunidades em que os opositores assumiram a Prefeitura foi por meio de medidas judiciais, nunca no voto”, diz um trecho do material.

——

Por Redação

Foto: Divulgação

 

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -