25.3 C
Manaus
sábado, maio 25, 2024

Dia Nacional da Cultura é comemorado na Assembleia Legislativa do Amazonas

O Dia Nacional da Cultura, celebrado nestes 5 de novembro, foi comemorado na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), numa Sessão Especial.

Por

O Dia Nacional da Cultura, celebrado nestes 5 de novembro, foi comemorado na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), numa Sessão Especial. De iniciativa do deputado Saullo Vianna (PTB), o evento teve como finalidade reforçar a importância da cultura para a construção do país, além de destacar o papel na identidade da sociedade e relevância na cadeia econômica, com geração de emprego e renda.

Estiveram presentes, no Plenário Ruy Araújo, os representantes de escolas de samba de Manaus; dos bumbás de Parintins, Garantido e Caprichoso, além das Cirandas de Manacapuru.

“Este ano a celebração do Dia Nacional da Cultura é ainda mais especial, porque o setor cultural, de entretenimento e economia criativa foi dos mais afetados pela pandemia da Covid-19”, afirmou Vianna, que também é o presidente da Comissão de Cultura da Aleam.

O deputado lembrou que as atividades artísticas foram as primeiras a serem suspensas e são as últimas a retornar. “Mesmo que, gradativamente, seguindo protocolos sanitários, hoje podemos comemorar a retomada dos eventos culturais, de shows, peças e festivais”, disse Vianna, falando da importância dessa retomada para a geração de renda de milhares de artistas.

Necessidade de vacinação – Vianna destacou ainda a necessidade da população se vacinar contra a Covid-19. “A imunização é a forma mais eficaz de frear a contaminação e surgimento de novas variantes. Com o controle do contágio será possível voltarmos ao ritmo de vida anterior a pandemia”, disse.

O parlamentar falou que a pandemia serviu para que a sociedade tivesse consciência da relevância do trabalho dos artistas, pois foi por meio de transmissões de shows musicais e teatrais via internet, ou exibição de filmes, que as pessoas puderam ter alguns momentos de lazer e de distanciamento em um momento tão difícil, de perdas de vidas. “Tenho maior orgulho de ser artista e de todos os artistas do nosso Estado, pois sei o quanto é difícil viver da cultura, mas somos guerreiros e resistimos”, declarou.

Projetos – O presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade (PV), destacou seis projetos de sua autoria, transformados em Lei, que têm como principal objetivo a valorização de patrimônios culturais do nosso Estado. “Precisamos criar mecanismos que preservem as nossas manifestações culturais e o nosso patrimônio. Só assim teremos história para contar aos nossos filhos e netos”, afirmou.

Em 2019, o parlamentar teve quatro leis sancionadas, beneficiando manifestações culturais dos municípios de Borba, Manicoré, Humaitá e Presidente Figueiredo. A Lei nº 4.987/2019, reconhece como de Relevante Interesse Cultural e Turístico do Estado do Amazonas a estátua de Santo Antônio de Borba, situada no município de mesmo nome.

“A estátua de Santo Antônio de Borba, produzida pelo artista plástico Marius Bell e fica na orla da cidade, de frente para o Rio Madeira. Foi construída na década de 90, e é um dos principais pontos turísticos da cidade. A partir desta Lei, ela pode ser preservada”, explicou.

As cachoeiras e grutas do município de Presidente Figueiredo foram declaradas Patrimônio Histórico e Cultural Material do Estado do Amazonas, por meio da Lei nº 4.990/2019, de autoria de Cidade. Já a Lei nº 5.015/ 2019, declara como Patrimônio Cultural do Estado do Amazonas, de natureza imaterial, o evento cultural popular Festa da Melancia no município de Manicoré.

“Realizada anualmente, a festa já tem mais de 20 edições e atrai milhares de turistas de todo o Estado, possuindo relevante impacto positivo na economia do município, sendo ainda considerado um dos eventos culturais mais famosos do Amazonas”, justificou o deputado.

Duas igrejas também foram objeto de leis que garantem a preservação de seu patrimônio arquitetônico cultural: a Catedral de Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Humaitá (Lei nº 5.026/2019) e a Basílica de Santo Antônio de Borba, em Borba (Lei nº 5.011/2019).
Em 2020, a Lei nº 5.241/ 2020, torna o evento cultural popular Expomani, em Manicoré, Patrimônio Cultural do Estado do Amazonas, de natureza imaterial.

“A exemplo da Festa da Melancia, a Expomani, que é também conhecida como Feira Agropecuária de Manicoré, também é realizada anualmente, possui mais de 20 edições, sendo considerado um dos eventos culturais mais famosos do Amazonas”, explicou.

Apresentações artísticas – Durante a Sessão Especial foram realizadas manifestações culturais. A primeira foi apresentação de integrantes das Cirandas de Manacapuru: Guerreiros Mura, Flor Matizada e Tradicional.

Em seguida os casais de mestre-sala e porta-bandeira das escolas de samba Reino Unido da Liberdade, Mocidade Independente de Aparecida, Unidos do Alvorada e Vitória-Régia realizaram uma evolução ao som da música “Não deixe o samba morrer”, dos autores Edson Conceição e Aloísio Silva.

Seguiu-se uma apresentação do Amo do Garantido, João Paulo Faria, que convidou o deputado Tony Medeiros para participar da apresentação. Encerrando as manifestações artísticas o Bumbá Caprichoso evoluiu ao som de toadas, interpretadas pelo Amo Prince do Boi.

Homenageados – Os representantes dos bois-bumbás Garantido e Caprichoso, João Paulo Faria e Jender Lobato, respectivamente, falaram em nome dos homenageados. Faria lembrou das dificuldades enfrentadas pelas Associações Folclóricas e pela própria cidade de Parintins, que tem no Festival Folclórico uma importante peça na economia local. “Torço para que em 2022 todos os setores culturais possam voltar com força total”.

Os trabalhadores e brincantes dos bois de Parintins que, infelizmente, perderam suas vidas em razão da Covid-19 foram lembrados pelos representantes das agremiações.

O presidente do Caprichoso, Jender Lobato, disse que o bumbá azul e branco realizou uma apresentação pela internet com o tema “Cultura que Resiste”, porque esse é o lema de todos os artistas, especialmente nesse momento no qual o setor cultural foi tão prejudicado economicamente. “Somos sobreviventes de uma pandemia, muitos não estão mais aqui, mas nós estamos e temos o compromisso de continuar lutando pela cultura do nosso país”, declarou.

Na Sessão Especial, foram entregues certificados em reconhecimento ao trabalho realizado em prol do desenvolvimento cultural amazonense.

– – –

Com informações das assessorias

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -