26.3 C
Manaus
quarta-feira, abril 24, 2024

‘Política social não se faz só com cestas básicas’, afirma presidente do Conselho Municipal de Assistência Social

A presidente do CMAS, Lidiane Lopes foi a convidada do quadro ‘Érica Lima Conversa’ e reforçou o convite para que órgãos e sociedade civil se comprometam na discussão de iniciativas que resultem em melhorias sociais concretas e que melhorem as vidas das pessoas

Por

Política de assistência social e a realização da 13ª Conferência Municipal de Assistência Social, foram os temas abordados no quadro “Erica Lima Conversa”, do Portal O Convergente, desta quinta-feira, 5/8, que teve como convidada a assistente social Lidiane Lopes, presidente do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS).

A presidente da CMAS destacou alguns dos principais pontos que serão abordados durante a 13ª Conferência Municipal de Assistência Social e ressaltou que o espaço de debate é fundamental para que os representantes governamentais, a sociedade civil, os trabalhadores do Sistema Único da Assistência Social (Suas) e os usuários possam avaliar a política de assistência social na capital e no Estado.

“Estamos na reta final para o grande evento da política de assistência social de Manaus. A conferência é um espaço de caráter de controle social, participação popular, é onde iremos conferir como está essa política de assistência social em Manaus”, pontuou Lopes.

CMAS – Assistente social por formação, a pesquisadora e apresentadora do quadro, Erica Lima ressaltou sobre a importância da representatividade e pediu para que a convidada explicasse sobre as atribuições do CMAS, bem como sobre a composição do conselho. Na ocasião, Lidiane esclareceu que o CMAS é responsável pela efetivação das políticas de assistência social no município de Manaus.

“O CMAS é responsável por todo esse controle social. O conselho que é responsável realmente por saber e buscas as ações. A conferência é um grande exemplo disso, onde as pessoas levam suas propostas e a partir da aprovação, entra o papel do controle social para a efetivação desse projeto”, destacou.

Lidiane explicou que o conselho é dividido por quatro segmentos, sendo trabalhador, gestão, sociedade civil e os usuários da política de assistência social.

Reflexão – Ao longo da conversa, a presidente do CMAS chamou atenção para uma reflexão com relação a descaracterização da política social durante a pandemia de Covid-19.

“Estamos em um momento de extrema necessidade para política de assistência social. Estamos passando por uma calamidade, compreendo que há muitas pessoas com fome e, claro, fome não pode esperar, porém há outras necessidades. Venham se efetivar e trazer garantias de direitos para essas pessoas. Precisamos entender que a política social não se faz só com cestas básicas, porque a necessidade da população vai muito além”, declarou.

13ª Conferência – A CMAS, com o apoio da Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), irá promover, entre os dias 26 e 27 de agosto, a 13ª Conferência Municipal de Assistência Social, com o tema “Assistência social: direito do povo e dever do Estado, com financiamento público, para enfrentar as desigualdades e garantir proteção social”.

O evento será realizado no auditório da Faculdade Boas Novas, na avenida Rodrigo Otávio, bairro Japiim, zona Sul, em frente à Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

“A minha perspectiva é que a população dos segmentos sociais participe do evento, pois assim saberemos de fato o que a população quer. Por isso existe as mobilizações. Para quando elas saírem daquele espaço não deixem o comprometimento com a política social”, finalizou.

Confirma a entrevista completa:

—–
Por Lana Honorato
Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -