27.3 C
Manaus
terça-feira, julho 16, 2024

São Sebastião do Uatumã vai gastar mais de meio milhão em passagens fluviais

Assinado pelo prefeito Jander Almeida (Republicanos), a aquisição dos itens descritos na licitação, São Sebastião do Uatumã pretende desembolsar dos cofres públicos o valor equivalente a R$ 546 mil

Por

O prefeito de São Sebastião do Uatumã, Jander Almeida (Republicanos) está envolvido em outra polêmica, desta vez pela compra de mais de meio milhão em passagens fluviais. O extrato da ata de preço do serviço PR 027/2021 foi publicado, no início do mês de julho, no Diário Oficial Eletrônico dos Municípios do Estado do Amazonas, “para atender aos órgãos da administração municipal”.

Conforme o Diário Oficial, as empresas presentes para eventual contratação dos itens são a Apolo Navegação Eireli, CNPJ 10.612.658/0001-08, localizada em Urucará e a Vanderlei Costa da Mata – ME, CNPJ 10.567.674/0001-26, localizada em São Sebastião do Uatumã.

As empresas irão receber juntas o equivalente a R$ 546 mil. Pelo acordo, a Apolo Navegação Eireli vai receber pelo fornecimento de passagens fluviais o montante de R$ 197.400,00. Para o trecho Manaus / São Sebastião do Uatumã, a prefeitura irá arcar com 630 passagens pelo valor unitário de R$ 110,00, totalizando com as viagens o valor de R$ 69.300,00.

Além dessas passagens, a empresa Apolo Navegação ficará responsável pelo frete de materiais com transporte a jato. Cada trecho Manaus / São Sebastião – São Sebastião / Manaus – a prefeitura vai pagar o valor total de R$ 58.800,00.

A empresa Vanderlei Costa da Mata – Me, ficará encarregada da maioria das passagens fluviais a jato. Para ida e volta do percurso Itapiranga / São Sebastião do Uatumã, a prefeitura irá gastar R$ 210 mil por 4.200 passagens. Além desse trecho, a prefeitura solicitou o percurso de ida e volta de São Sebastião / Itacoatiara por R$ 138.600.

Confira o documento:

Polêmicas – No mês passado, o prefeito de São Sebastião do Uatumã chamou atenção por outra licitação, essa no valor de R$ 1,6 milhão com a compra de produtos de informática “para atender aos órgãos da administração municipal”. Além de suspeitas de superfaturamento na aquisição dos itens, houve indícios de que uma das empresas contratadas pela administração municipal para o fornecimento dos produtos fosse fantasma.

Sobre as polêmicas, o morador que preferiu não se identificar disse que não tem visto o retorno desse dinheiro gasto pelo munícipio. “A cidade ainda está se recuperando da cheia. Temos visto que o prefeito tem feito vários contratos suspeitos, mas não podemos fazer nada. Enquanto isso quem sofre são os moradores”, disse.
– – –
Da Redação

Foto: Divulgação / Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -