26.3 C
Manaus
terça-feira, julho 16, 2024

Deputado federal Bosco Saraiva descarta concorrer à reeleição e fala sobre ataques à Zona Franca

Político experiente e que, além de vereador, deputado estadual, vice-governador e secretário de Estado, Bosco Saraiva afirmou na entrevista que não vislumbra mais cargos públicos

Por

O deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade) descartou concorrer à reeleição nas eleições de 2022. A afirmação foi feita por ele durante entrevista ao quadro “Debate Político”, do Portal O Convergente desta quinta-feira, 24/6. Durante entrevista à apresentadora, a pesquisadora Erica Lima, o parlamentar falou também sobre questões envolvendo a Zona Franca de Manaus, enfretamento à Covid-19 e o atual cenário político do país.

Durante a entrevista, o deputado federal falou como sua vida pública o ajudou na condução do seu mandato e como a defesa do modelo Zona Franca de Manaus é uma luta que mobiliza os políticos do Estado. “Ser deputado federal pelo Amazonas, em primeiro lugar, é ser defensor da Zona Franca. Toda a bancada é defensora da Zona Franca de Manaus. Cada um que chega lá, chega com seu fuzil para defender diariamente, a Zona Franca. Porque ela é, permanentemente, atacada e incompreendida”, afirmou.

Conforme o deputado, administrar essa situação é bastante complicada, especialmente se não houver nenhum parlamentar da bancada do Amazonas envolvido em comissões de extrema importância no que se refere a esse tema.

“Essa semana tivemos ataques frontais e a gente não teve força para defender. É preciso que o povo compreenda a atuação dos seus senadores, dos seus deputados federais. Acompanhem porque a pauta de Brasília é diferente da pauta estadual e municipal. Mas se tem uma coisa que une os políticos do Amazonas em Brasília é defesa à Zona Franca, independente de qualquer coisa”, afirmou.

Para Saraiva, fazer parte de um parlamento federal é ter uma visão mais holística sobre a política nacional. “É onde se vê o Brasil como um todo, representado pelo povo que compõe o Congresso Nacional. Lógico que estamos vivendo um momento ímpar, um Brasil extremamente radicalizado, o que não é bom para o país, mas é bom para a democracia”, afirmou ele ressaltando que, em razão da pandemia, o mandato tem sido exercido de forma diferenciada.

Projetos e eleições – O parlamentar aproveitou também para falar sobre projetos futuros tanto no âmbito pessoal como profissional e afirmou que, após o fim do mandado como deputado federal, voltará para Manaus. “Vou voltar para Manaus. Quero ficar nas pautas locais, ficar mais perto dos amigos. Tentar passar um pouco da minha experiência acumulada para esses que estão iniciando na política. Tentar estimular algum jovem através do meu partido Solidariedade, contribuir através dele”, afirmou.

Político experiente e que, além de vereador, deputado estadual, vice-governador e secretário de Estado, Bosco Saraiva afirmou na entrevista que não vislumbra mais cargos públicos.

“Já fui quatro vezes vereador, vice-governador do Estado. Já assumi mandados executivos no município e no estado. Meu ciclo está chegando ao final. Eu quero isso. Que chegue ao final com a consciência de que cumpri o meu papel. Eu sigo para frente, mas olhado para dentro dos quadros do meu partido para tentar construir novas lideranças e novos políticos que pensem efetivamente no povo e que tenham dentro do coração o serviço público, que está muito em falta no momento na nossa política”, disse ao confirmar que não pretende concorrer à reeleição para deputado federal.

“Eu não vou concorrer e o posto que nós vamos disputar ainda vai passar por uma discussão. Por conta dessa restruturação que estou fazendo no partido. É uma coisa que estamos fazendo no Brasil inteiro. Há muitas coisas com possibilidade de acontecer. Vamos aguardar para o futuro”, desconversou.

Segurança pública – A violência e ações de facções criminosas no Amazonas também foram debatidas durante a entrevista. A área de segurança pública é bem conhecida pelo deputado, que foi secretário de Segurança Pública do Amazonas até o início de 2018.

Questionado sobre a crise da segurança pública causada pelas facções criminosas e evidenciadas no início de junho deste ano, após uma série de ataques na capital e no interior o Estado, Bosco ressaltou sobre a necessidade de que sejam feitos investimentos pelas três esferas de governo.

“O interior do Amazonas está contaminado e Manaus está a olhos vistos com atuações muito fortes de facções em cima desse comércio que existe. Então precisa de investimento e aí precisa de investimento das três esferas. É muito bom que o prefeito esteja pensando no investimento municipal nesse sentido. O Estado, automaticamente, já tem seu investimento e o Governo Federal precisa compreender que o Amazonas é diferente dos demais estados do Brasil. Que no Amazonas estão os grandes oceanos de água doce, por onde se pode fiscalizar com homens preparados e com as tecnologias existentes”, concluiu ele ao dizer que o estado, nesse sentido depende muito mais do governo federal do que dos recursos estaduais para equipamento e manutenção das forças de segurança.

Sobre a importância de armar a guarda municipal, Bosco ressaltou que a medida é importante, mas que precisa estar alinhada a outras medidas de segurança para barrar a entrada de drogas no Amazonas.

“A guarda armada municipal é uma necessidade para servir como força auxiliar da segurança do estado. Evidentemente que é um novo contingente devidamente treinado. São dez meses de treinamento para quem vai usar uma arma. A formação tem que ser completa. Mas há essa necessidade porque Manaus está atrasada em relação a essa questão de armar a guarda municipal”, opinou.

Por outro lado, Bosco afirmou que em sua opinião as questões de segurança não se resolverão somente com polícia e armamento. “No Amazonas somos entreposto da droga, passagem da droga, por onde a droga de outros países passa até chegar à costa brasileira. No Amazonas o céu é o limite. Para inibir tudo isso precisamos de investimentos não somente na repressão, como na raiz do problema. Aliar esse combate às questões de educação, esporte e lazer é fundamental”, afirmou.

Emendas – Sobre sua atuação como deputado federal em meio à atenção à saúde e ao enfrentamento à pandemia de Covid-19, Bosco pincelou sobre algumas de suas iniciativas.

“Eu foquei muito nesse setor da saúde. Nesses dois anos saí atendendo os hospitais de Manaus e mais de 30 hospitais do interior do Amazonas. Todos os prefeitos que me procuraram para ajudar eu dei recursos no campo da saúde. Só no ano passado eu destinei mais de R$ 20 milhões para ações de Covid no interior do Estado. Entendo que se estiver tudo bem no interior, os pacientes não precisam se deslocar para Manaus, gerando ainda mais transtornos”, destacou o deputado ao dizer que esse ano repetiu algumas emendas impositivas nesse sentido, já prevendo ações de combate à pandemia.

Confira a entrevista : 

 

— —

Por Izabel Guedes

Foto:Ilustração – Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -