29.3 C
Manaus
quarta-feira, junho 12, 2024

Joana Darc volta atrás e se desculpa por acusar colegas de terem recebido dinheiro na eleição que escolheu a mesa diretora da Aleam

Com o filho Joaquim no colo, a deputada estadual Joana Darc pediu desculpas ao presidente da Aleam e aos demais colegas pelas acusações feitas em dezembro de 2020

Por

Sete meses após acusar seus pares de receberem R$ 200 mil para eleger o atual presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Roberto Cidade (PV), a deputada estadual Joana Darc (PL) usou a tribuna da Casa na manhã desta quarta-feira, 16/6, para pedir desculpas quanto as acusações proferidas contra os parlamentares.

Em dezembro do ano passado, Joana Darc acusou o deputado Roberto Cidade de oferecer dinheiro para que os demais deputados votassem a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que alterou as regras para a eleição da Mesa Diretora, permitindo adiantar a escolha dos novos membros da mesa. A época, Cidade foi eleito por 16 votos a oito para o biênio 2021/22.

Com o filho Joaquim de três meses no colo, Joana Darc declarou estar na sessão desta quarta-feira para fazer esclarecimentos à sociedade e para pedir desculpas ao presidente da Aleam e aos colegas pelas acusações.

“Estou vindo hoje aqui para fazer esclarecimentos do fato que aconteceu aqui em que eu fiz uma denúncia, inclusive nominalmente, ao presidente Roberto Cidade falando sobre uma suposta compra de votos. Passei pelo pós-parto e não tive a oportunidade de vir aqui da mesma tribuna pedir desculpas. Peço hoje que se retire dos anais da Aleam, as palavras que coloquei aqui nessa tribuna de forma injusta e leviana”, declarou a deputada.

Direcionando a fala ao presidente da Casa, a parlamentar pediu ao colega que considerasse o episódio “uma página virada na história do parlamento” e pediu desculpas nominalmente a cada deputado. A deputada atribuiu as acusações à falta de maturidade por ainda não ser mãe e não ter a família constituída.

“Não é justificativa, mas minha maternidade não foi fácil. Talvez naquele momento, por ainda não ser mãe e estar passando por um momento conturbado, eu não entendesse que eu estaria atingindo a vida de cada um. Independentemente do que aconteça e da situação, eu quero aqui, de todo o meu coração, pedir desculpas”, reafirmou.

Joana Darc informou, ainda, que irá solicitar a imediata suspensão de sua licença maternidade.

Contrários – Os deputados Wilker Barreto (Podemos) e Álvaro Campelo (Progressista) se manifestaram contrários ao pedido de desculpas. Para o Wilker Barreto, a deputada poderia ter se retratado ainda na ocasião do episódio, entretanto, segundo ele, a parlamentar não se manifestou acerca da denúncia.

“Eu acho válido o pedido de desculpas, pode ser levado à Comissão de Ética, mas isso não diminui o regimento e não extingue o processo. O pedido de desculpas talvez não tenha o alcance, mas a calúnia contra esta Casa girou o Brasil. Situações de discussões fazem parte de um parlamento maduro, mas atacar a honradez de 16 parlamentares e sete meses depois um pedido desculpa, na minha opinião, é extemporânea”, destacou Barreto.

Álvaro Campelo ressaltou que ainda não tinha compreendido por que a deputada fez acusações a 16 deputadas sem a menor responsabilidade, no calor da emoção. Campelo lembrou que Joana Darc falou que se chamada à Justiça teria como apresentar provas das denúncias feitas por ela.

“Na ocasião eu esperei, sinceramente, que a deputada reconsiderasse tudo que havia falado. Esse pedido de desculpas não vai tirar em nenhum momento a repercussão negativa que teve a respeito dessa notícia. Eu lamento profundamente que isso aconteça depois de tanto tempo e de um processo na Comissão de Ética em curso. Um simples pedido de desculpas extemporâneo não vai resolver o dano que foi causado”, afirmou.

A favor – Já o deputado Serafim Correa (PSB) considerou o pedido de desculpas da parlamentar aceito e destacou que, por ele, “o assunto já está encerrado”.

“Temos que ter generosidade, temos que ter o sentimento do perdão. Claro que eu fiquei triste quando a deputada fez aquela acusação. Tenho a minha consciência tranquila e tenho certeza que todos os colegas também. De minha parte esse é um assunto encerrado, isso é página virada porque obviamente aquela acusação foi no calor da emoção e ela não se sustenta”, declarou Serafim.

Processo de cassação – A deputada Joana Darc está sendo submetida a um processo de cassação junto à Comissão de Ética da Aleam por quebra de decoro parlamentar. No dia 4 de abril, o presidente da Comissão, Sinésio Campos (PT) nomeou o deputado estadual Dermilson Chagas (Podemos) para ser o relator da matéria que analisa a ação contra a deputada.

No dia 16 de abril deste ano, o relator do processo encaminhou memorando ao gabinete do presidente da Comissão informando que estavam suspensos todos os prazos e quaisquer procedimentos referentes aos trabalhos na relatoria por ela estar em pleno gozo de sua licença-maternidade.

Veja um trecho do discurso da deputada Joana Darc:

—–

Por Lana Honorato

Foto: Matheus Ponce

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -