26.3 C
Manaus
terça-feira, junho 18, 2024

Deputada Mayara Pinheiro nomeia cunhado e ex-madrasta que moram no exterior como assessores parlamentares

As nomeações, embora não sejam ilegais, estão causando indignação na população, que vê como uma afronta a deputada empregar pessoas do seu núcleo familiar e ainda que residem fora do país para “exercer” atividade parlamentar

Por

A deputada estadual Dra. Mayara Pinheira (Progressista) nomeou o cunhado, Ryan Gabriel Silva e a ex-madrasta, Rosemary Cunha Martins para atuarem em seu gabinete, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). Conforme denúncias, Ryan mora no Canadá e Rosemary em Portugal.

Ryan, que é casado com a irmã da parlamentar, foi nomeado para exercer a função de Assessor de Diretoria 4 CC7 e Rosemary, ex-companheira do pai da Mayara, Adail Pinheiro, foi designada para o cargo de Assessor de Diretoria 8 CC11. As nomeações constam no Diário Oficial do Legislativo da Aleam.

Segundo o denunciante, o caso foi apresentado à Procuradoria-Geral de Justiça, nesta quarta-feira, 12/5.

Indignação – O ato da deputada estadual Dra. Mayara, em nomear Ryan e Rosemary, vem causando indignação na população, que lembrou que a parlamentar foi a mais votada na última eleição estadual, em 2018, para representar o povo na casa legislativa. Mayara Pinheiro foi eleita com 50.819 votos e se tornou a deputada estadual mais votada na história do Amazonas.

“Muita falta de respeito com quem a colocou lá, com a classe trabalhadora e com a população em geral. Como eles assinaram o contrato de trabalho? Como assinam a frequência do gabinete? Isso mostra a falta de comprometimento dela (deputada Mayara) com a casa e com o povo do Amazonas. E mais ainda, isso mostra a conivência dos demais colegas da Casa, que tem conhecimento e que levam para a ‘normalidade’ esse tipo de situação”, destacou a funcionária pública Virgínia Queiroz, 42.

A pedagoga Mariana Diniz, 28, destacou que apesar do ato não ser ilegal, é imoral. “Isso é uma total falta de respeito. No gabinete dela, ela pode realmente colocar quem ela quiser, mas contanto que essa pessoa trabalhe, afinal está recebendo dinheiro público, né?!”, repudiou.

Já a estudante universitária Lorena Vieira, 23, questionou as nomeações e destacou que são absurdas, uma vez que os dois designados para os cargos públicos não moram no país.

“Será que a deputada Mayara tem uma embaixada em cada um desses países e a gente não sabia? Só isso poderia justificar ela destinar verbas estaduais para assessores que não tem condições reais de contribuir com o mandato dela e, consequentemente, com o Amazonas. A gente pensa que já viu tudo, mas não, eles conseguem fazer coisas mais absurdas ainda”, comentou.

Família investigada – A conselheira do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Yara Lins, suspendeu no último dia 6 de maio, o procedimento licitatório feito pela Prefeitura de Coari para a aquisição de oito carros de luxo, quatro deles blindados pelo valor superior a R$ 3 milhões. O contrato foi firmado na gestão da tia da deputada, a então prefeita interina, Jeany Pinheiro (PP), que assumiu a prefeitura após Adail Pinheiro Filho (PP), irmão de Mayara, deixar a função.

Reeleito nas últimas eleições, Adail Filho (PP) teve o registro de candidatura cassado em dezembro de 2020, pelo TRE-AM. O último recurso encaminhado por ele ao TSE foi negado no último dia 28 de abril, em decisão monocrática tomada pelo ministro Tarciso Vieira de Carvalho Neto, por desconformidade com a legislação eleitoral, uma vez que a mesma proíbe integrantes do mesmo núcleo familiar de exercer mandados por mais de duas legislaturas consecutivas.

O Portal O Convergente procurou a deputada Mayara Pinheiro, por meio de sua assessoria de imprensa, que informou que a deputada não se manifestará sobre o assunto.

— —

Por Lana Honorato

Foto: Divulgação / Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -