27.3 C
Manaus
quarta-feira, julho 24, 2024

Agnaldo Timóteo é sepultado neste domingo, no Rio

Cantor e político, Agnaldo Timóteo morreu aos 84 anos de complicações da Covid-19. Ele foi deputado federal pelo Rio de Janeiro

Por

O corpo do cantor e político, Agnaldo Timóteo foi sepultado na tarde deste domingo, 4/4 no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, no Rio de Janeiro. O artista morreu neste sábado, 3/4, aos 84 anos, em decorrência de complicações da Covid-19, após 18 dias de internação.

Não houve velório e nenhuma outra cerimônia aberta ao público e fãs. A despedida foi restrita apenas a um pequeno número de parentes por conta das restrições impostas pela pandemia.

O cantor iniciou a carreira na década de 1960 e se consolidou com canções românticas. Na política, teve mandatos como deputado federal e vereador em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Agnaldo estava internado desde o dia 17 de março na UTI do Hospital Casa São Bernardo, na Zona Oeste do Rio. Médicos acreditam que o artista de 84 anos contraiu o coronavírus no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina. Ele chegou a tomar a segunda dose, no dia 15/3, dois dias antes da internação.

No último dia 27, Agnaldo precisou ser intubado para “ser tratado de forma mais segura” contra a doença, segundo a família.

Trajetória – Agnaldo Timóteo Pereira, mais conhecido como Agnaldo Timóteo, nasceu em Caratinga, no interior de Minas Gerais, em 16 de outubro de 1936. Apaixonado por música desde cedo, se apresentava em circos itinerantes que chegavam à cidade.

Timóteo passou a cantar em programas de calouro em rádios de Caratinga, Governador Valadares e Belo Horizonte. A projeção veio após participação no programa de Jair de Taumaturgo na TV Rio, quando ganhou todos os prêmios do programa e foi contratado pela gravadora EMI-Odeon.

Agnaldo iniciou sua trajetória política em 1982, quando foi eleito deputado federal no Rio de Janeiro pelo PDT. Durante o mandato, brigou com Leonel Brizola e transferiu-se para o extinto PDS.

Candidatou-se ao governo do Estado em 1986, mas foi derrotado por Moreira Franco. Foi eleito novamente deputado federal em 1994, e renunciou dois anos depois para assumir como vereador na cidade do Rio de Janeiro.

Em 2005, assumiu como vereador em São Paulo pelo Partido Progressista, e foi reeleito em 2008.

Foto: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -