31.3 C
Manaus
sexta-feira, julho 12, 2024

Dia do Doador de Sangue: Lei de Roberto Cidade prioriza atendimento de doadores de sangue raro e fenotipado

A medida tem o objetivo de agilizar o socorro às pessoas que precisam de transfusões urgentes

Por

Na data comemorativa pelo Dia do Doador de Sangue, o deputado estadual Roberto Cidade (UB), presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), chama atenção à Lei Ordinária nº 6.377/2023, de sua autoria, que prioriza o atendimento de doadores de sangue raro e fenotipados convocados junto à Fundação Hospitalar de Hemoterapia do Amazonas (FHemoam). A medida tem o objetivo de agilizar o socorro às pessoas que precisam de transfusões urgentes.

“Antes da Lei, tanto doadores convocados pelo banco de sangue quanto os doadores convencionais enfrentavam a mesma fila de espera. No entanto, esses doadores de sangue raro ou fenotipados são convocados quando há necessidade de transfusões urgentes e, por isso, precisam ser prioridades no atendimento. O objetivo não é privilegiar um em contraposição a outro, mas sim garantir a vida do cidadão, porque na saúde, um minuto faz a diferença”, destacou Cidade.

Conforme a Lei, a doação será destinada aos pacientes cujas características sanguíneas tenham sido previamente estudadas e comparadas com os dados de doadores.

“Há dois tipos de doadores considerados especiais, objetos desta Lei, os chamados ‘doadores fenotipados’ e os doadores de sangue ‘raro’. Nossa proposta cria condições para que o sangue raro ou específico (fenotipado) chegue o mais rápido possível ao paciente que necessita de transfusão ou que garanta estoque de reserva para possíveis emergências durante cirurgias”, pontuou.

Em tramitação

Está em tramitação na Aleam, o Projeto de Lei nº 013/2024, de autoria do deputado presidente, que regula a possibilidade de pagamento de multas leves de trânsito por meio de doação de sangue à FHemoam.

“Nossa proposta quer incentivar a doação voluntária de sangue. Ao vincular a doação de sangue ao pagamento de multas leves, cria-se um estímulo a mais para que os cidadãos participem ativamente desse gesto altruísta. O PL também tenta mitigar o problema da falta de bolsas de sangue ao oferecer uma fonte de verbas em parceria com o órgão responsável por gerir recursos oriundos das infrações de trânsito”, afirmou.

Conforme a proposta, a doação será de livre escolha do condutor, podendo optar pelo pagamento pecuniário tradicional, e caberá à autoridade de trânsito do Estado do Amazonas estabelecer quais infrações poderão ser sanadas com doação de sangue, limitadas a duas por ano para cada condutor.

As doações não poderão ser transferidas a terceiros, sendo destinadas exclusivamente ao atendimento das demandas da FHemoam. O não cumprimento dos pré-requisitos estabelecidos no PL apresentado acarretará na anulação da opção de pagamento por doação de sangue, devendo o infrator quitar a multa nos termos tradicionais estabelecidos pela legislação vigente.

Doador Legal

Realizada desde 2014 na sede do Legislativo Estadual, a campanha “Doador Legal”, que incentiva a doação de sangue entre os servidores da Aleam e a comunidade em geral ganhou maior incentivo a partir da gestão do presidente Roberto Cidade.

Somente no ano passado, em dois dias, a campanha arrecadou 120 bolsas de sangue. Desde sua criação, a campanha da Aleam já contribuiu com, aproximadamente, 1.147 bolsas de sangue.

Doe sangue, doe vida

A Campanha Junho Vermelho foi criada no Brasil em 2015, sendo o mês escolhido em razão do fato de, no dia 14, celebrar-se o Dia Mundial do Doador de Sangue, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para doar é necessário:

– Ter entre 16 e 69 anos

– Estar saudável

– Pesar no mínimo 50 quilos

– Estar alimentado, evitando alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação

– Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas

– Apresentar documento de identificação com foto

Pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar se já o tiverem feito antes dos 60 anos. Menores de 18 anos devem possuir consentimento formal do responsável legal.

A frequência máxima é de quatro doações de sangue anuais para o homem, com intervalo mínimo de 2 meses, e de três doações de sangue anuais para as mulheres, com intervalo mínimo de três meses.

*Com informações da assessoria

Leia mais: Criação de incentivo para participação de jovens no processo eleitoral é tema de lei assinada por Roberto Cidade

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -