26.3 C
Manaus
sábado, abril 13, 2024

‘Os partidos políticos no Brasil são péssimos exemplos’, diz analista sobre afastamento de assassino de Chico Mendes do diretório do PL no PA

O ex-dirigente do PL no interior do Pará estava à frente da sigla do partido desde o fim de janeiro, após tomar posse.

Por

Após repercussão negativa, o diretório estadual do Partido Liberal (PL) no Pará (PA) afastou Darci Alves Pereira do comando da direção da sigla no município de Medicilândia, no oeste paraense. A decisão partiu de Valdemar Costa Neto, presidente nacional da sigla, que tomou conhecimento de que Darci, que assassinou e confessou o crime contra o ambientalista Chico Mendes.

O ex-dirigente do PL no interior do Pará estava à frente da sigla do partido desde o fim de janeiro, após tomar posse. De acordo com o analista político Carlos Santiago, o caso envolvendo o PL e o ex-presidente do PL municipal, confesso de um crime que repercutiu no Brasil, comprova um desequilíbrio político.

“Isso só demonstra como os partidos políticos no Brasil são péssimos exemplos para a sociedade”, disse Santiago.

Pelas recomendações da direção nacional da sigla, outro parlamentar de Medicilândia vai assumir o diretório na cidade, e conforme nota assinada pelo presidente estadual do partido, o deputado federal Delegado Éder Mauro, “Valdilene Lambert, vereadora e pré-candidata à prefeitura, é quem deve assumir a presidência do partido no município”.

Em comunicado divulgado na terça-feira (27), Valdemar sugeriu a Éder Mauro a remoção imediata de Darci e agradeceu à imprensa após ter tomado conhecimento do nome do mesmo no caso de Chico Mendes.

“Agradeço à imprensa por trazer ao nosso conhecimento esse importante fato. Diante dessas circunstâncias, recomendei ao presidente da estadual do PL do Pará, deputado Éder Mauro, a imediata destituição de Darci Alves Pereira do cargo, conhecido atualmente como Pastor Daniel”, disse Valdemar, em nota.

Sob a alcunha de ‘Pastor Daniel’, nas redes sociais, Darci, que previamente anunciava sua intenção de concorrer ao cargo de vereador, foi apontado para liderar o diretório do PL em Medicilândia. Com aproximadamente 32 mil habitantes, essa nomeação ocorreu em novembro do ano passado, com previsão de permanecer no comando do partido até novembro deste ano, de acordo com informações do Tribunal Superior Eleitoral.

Em entrevista ao Poder 360, Darci Alves disse que isso é passado e já pagou pelo crime. ‘Já paguei pela minha vida do passado e estou há 20 anos em liberdade. Hoje, sou outra pessoa’, disse o político”.

Caso Chico Mendes

Darci Alves Pereira, que admitiu sua culpa, recebeu uma sentença de 19 anos de prisão em 1990, compartilhada com seu pai, Darly Alves da Silva, pelo assassinato de Chico Mendes. O ativista ambiental foi morto aos 44 anos, com um disparo no peito, em 22 de dezembro de 1988, no quintal de sua residência em Xapuri, Acre.

Ilustração: Marcus Reis

Leia mais: Contrariando Bolsonaro, Valdemar Costa Neto e Alfredo Nascimento insistem em David Almeida no PL

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -