28.3 C
Manaus
quarta-feira, fevereiro 28, 2024

Sob pena de multa, Prefeitura de Iranduba tem 5 dias para apresentar plano de construção de aterro sanitário próprio

O MPAM obteve uma decisão que interrompe licenciamento ambiental no município

Por

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por meio de Ação Civil Pública (ACP), conseguiu, no dia 23/11/23, a interrupção do Licenciamento Ambiental da empresa Norte Ambiental Tratamento de Resíduo Ltda junto ao Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam). O licenciamento visa à instalação de Sistema de Tratamento e Destinação de Resíduos Sólidos no município, para atender à região metropolitana de Manaus.

A decisão também impõe ao Município de Iranduba a obrigação de apresentar e desenvolver cronograma de construção de aterro sanitário próprio em local adequado e conforme a legislação vigente.

A suspensão do licenciamento ambiental junto ao Ipaam e a apresentação do cronograma de construção do aterro devem ser efetuadas no prazo de cinco dias, sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil, até o limite de R$ 500 mil. A construção do aterro deve ser realizada no prazo de seis meses, sob pena de multa diária no valor de R$ Mil até o limite de R$ 250 mil.

A ação visa assegurar o direito constitucional ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida (art. 225 da CF). “Todos têm direito, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”, ressaltou o Promotor de Justiça.

*Com informações da assessoria

Leia mais: Em situação de emergência, Iranduba vai gastar mais de R$ 4 milhões dos cofres públicos em apenas um contrato

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -