27.3 C
Manaus
domingo, fevereiro 25, 2024

Cid trocou mensagens com loja do Rolex de Bolsonaro, informa documentos do FBI

A versão do FBI contraria o que disse a defesa de Wassef, em agosto, na qual o advogado declarou que sua viagem para os Estados Unidos não teve participação de Cid

Por

O FBI enviou à Polícia Federal (PF) um e-mail com conversas entre o ex-ajudante de Jair Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cid, com a Precision Watches, loja que teria sido vendido o Rolex dado ao ex-presidente pelo governo da Arábia Saudita.

A troca de mensagens aponta que Cid teria pedido para fazer o pagamento em espécie, mas, por se tratar de uma compra acima de US$ 10 mil, teria de assinar um documento.

Cid teria, portanto, indicado o nome do advogado de Bolsonaro, Frederick Wassef, para realizar a transação.

A versão do FBI contraria o que disse a defesa de Wassef, em agosto, o advogado declarou que sua viagem para os Estados Unidos não teve participação de Cid.

Wassef mostrou um recibo de recompra no valor de US$ 49 mil. O Rolex foi vendido ilegalmente nos Estados Unidos pelo ex-ajudante Mauro Cid. Como se tratava de um presente de Estado, não poderia ser comercializado.

Após admitir seu envolvimento, Frederick Wassef foi alvo de mandados de busca e teve 2 celulares apreendidos. Por meio de nota, Wassef disse que a informação é “falsa e mentirosa” e que o FBI “não descobriu nada de novo e que apenas disse que eu comprei o Rolex, o que eu mesmo já havia informado dos meses atrás”.

Leia mais: Reunião sobre ausência da Força Nacional no 8 de janeiro é cancelada na Câmara

__

Por July Barbosa com informações CNN

Revisão textual: Vanessa Santos

Foto: Divulgação

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -