26.3 C
Manaus
sexta-feira, maio 17, 2024

Ari Moutinho alega “ódio e perseguição” após ser afastado do TCE-AM

O conselheiro foi afastado nessa quinta-feira (26), após recentes polêmicas envolvendo violência de gênero

Por

Após ser afastado do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), o conselheiro Ari Moutinho emitiu uma nota para rebater a decisão de afastamento. De acordo com a decisão, o afastamento se deve às palavras depreciativas, que feriram a honra de Yara Lins, violando, com isso, o Código de Ética do Tribunal, notadamente o Art. 23, caput e parágrafo único e o art. 37 do mesmo diploma legal.

Na nota emitida por Moutinho, ele afirmou que a decisão de afastamento é desconexa com o Ordenamento Jurídico da Corte. “Recebo com irresignação a notícia de decisão de afastamento de minhas atividades. Ressalto que a decisão do meu afastamento é desconexa e descompassada com nosso Ordenamento Jurídico”, diz um trecho.

Além disso, ele afirmou que as acusações que foram feitas contra ele não condizem com a realidade. “Só posso observar tudo isso como mais um capítulo da campanha de ódio e perseguição que se instalou injustamente contra minha pessoa”, alegou.

O conselheiro ainda ressaltou que está afastado do TCE-AM, pois passou por procedimentos cirúrgicos e foi pego de surpresa com a decisão logo após sair da sala de cirurgia.

Nessa quinta-feira (26), foi comunicado o afastamento do conselheiro Ari Moutinho. A decisão informa que com o “objetivo de manter o ambiente o mais isento possível para o deslinde do presente processo, o mais prudente é que se proceda ao afastamento do Representado, do exercício de suas funções, por ser medida necessária, adequada e proporcional, para evitar inclusive o contato direto entre Representante e Representada, o que poderia exaltar os ânimos das partes, com o risco de ocorrência de atos que pudessem significar novas acusações. Em síntese: tal situação poderia resultar em novos dissabores entre as partes, e consequentemente comprometer o bom andamento processual”.

No último dia 6 de outubro, a presidente eleita do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, Yara Lins, havia realizado uma denúncia contra Ari Moutinho, anunciando que foi “covardemente agredida dentro do plenário antes da eleição para me desestabilizar quando estava no plenário, eu, o conselheiro Fabian, o conselheiro Ari e vários assessores. Eu fui cumprimentar o conselheiro Ari e disse bom dia, e ele disse ‘bom dia nada, safada, puta, vadia’ e me ameaçou dizendo ‘eu vou te f**’”.

Confira a nota na íntegra:

Leia mais: Presidente eleita do TCE-AM, Yara Lins entra com representação administrativa disciplinar contra Ari Moutinho

___

Por Camila Duarte

Revisão textual: Vanessa Santos

Ilustração: Marcus Reis

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -