27.3 C
Manaus
sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Fenômeno conhecido por “terras caídas” pode ser causa da tragédia em Beruri

O local fica na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Piagaçu Purus, a 173 km da capital, Manaus

Por

Um desabamento deixou moradores da comunidade do Arumã, no município de Beruri (AM), em estado de alerta e consternação na noite de sábado (30). Um deslizamento de terra atingiu um barranco, afetou mais de 40 casas e matou uma criança, tendo deixado ainda 10 pessoas feridas e quatro desaparecidas na região.

Destas últimas, três estão soterradas e uma no rio, segundo informações do governo estadual do Amazonas. Ao todo, cerca de 200 pessoas foram atingidas pela tragédia. O local fica na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Piagaçu Purus, a 173 km da capital, Manaus.

Segundo os técnicos da Defesa Civil do estado, o incidente é provocado pelo que se convencionou chamar de “terras caídas”, fenômeno relacionado à erosão do solo que provoca a queda de terrenos após constante atuação da água sobre as margens dos rios. Em nota oficial veiculada na tarde deste domingo (1º), o governo do estado disse ter montado uma força-tarefa com agentes da Polícia Militar (PM), da Defesa Civil do Amazonas, do Corpo de Bombeiros e das Secretarias de Assistência Social, Justiça, Direitos Humanos e Cidadania, de Saúde e Meio Ambiente.

A operação envolve ainda os trabalhos da Fundação de Vigilância em Saúde e do Instituto Médico Legal (IML). “Determinei total apoio nas buscas e assistência às vítimas do desbarrancamento. Nossas equipes estão em campo para fazer o que for preciso”, disse o governador do estado, Wilson Lima (União Brasil). Equipes da PM e da Defesa Civil atuam na região desde a noite de sábado.

O Corpo de Bombeiros enviou mergulhadores e especialistas habilitados para atuarem no trabalho de resgate nas áreas mais críticas. Foi montada uma base de atendimento na Comunidade São Lázaro, próxima ao local afetado, para dirigir os atendimentos. “As pessoas, na hora do desastre natural, se abrigaram na mata e, pela parte da manhã de hoje, já foram resgatadas, com ferimentos leves, e estão sendo atendidas na comunidade”, informou o subtenente Emerson Silva, que responde pela 2ª Companhia do Corpo de Bombeiros de Manacapuru.

Também neste domingo a Secretaria de Meio Ambiente informou que está prestando apoio humanitário às famílias atingidas pelo deslizamento. A ação envolve a distribuição de 150 cestas básicas, 150 kits de higiene pessoal, 100 garrafões de água de 20 litros e 180 frangos. Segundo o governo, o material foi adquirido com apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), do Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática.

Os trabalhos estão sendo coordenados pela Defesa Civil do Amazonas e Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas(CBMAM), mergulhadores e especialistas habilitados para resgate em áreas colapsadas. De acordo com dados do órgão, o desastre natural, conhecido na região como Terras Caídas, atingiu mais de 40 residências e afetou cerca de 200 pessoas.  Até o momento, há confirmado o óbito de uma criança e quatro desaparecidos, sendo três soterrados e uma pessoa no rio.

O Governador Wilson Lima prestou solidariedade às vítimas. “Minha solidariedade e orações às famílias atingidas. Determinei total apoio nas buscas e assistência às vítimas do desbarrancamento. Nossas equipes estão em campo para fazer o que for preciso.”, disse o Governador.

O Comandante de Bombeiros da Capital (CBC) Coronel Reinaldo Menezes falou sobre o grupo formado para atender a ocorrência.

“Estão indo combatentes, militares do quadro de saúde para dar apoio no que for necessário na área de enfermagem e médica. E nossas equipes estão indo ainda com várias outras equipes do Estado. O Governo do Amazonas está dando todo apoio que será importante nas ações tanto de cuidado das famílias, quanto nas ações de resgate”, afirmou.

O subtenente Emerson Silva, responsável pela 2ª Companhia do Corpo de Bombeiros de Manacapuru, explicou que a equipe montou uma base na Comunidade São Lázaro, que fica ao lado do local atingido, para coordenar os atendimentos. “As pessoas, na hora do desastre natural, se abrigaram na mata e, pela parte da manhã de hoje, já foram resgatadas, com ferimentos leves, que estão sendo atendidas na comunidade São Lázaro, onde foi montada toda uma logística para atender as vítimas”, afirmou.

Apoio humanitário

A Secretária de Meio Ambiente também está dando apoio humanitário à comunidade Arumã, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Piagaçu Purus.

O órgão vai entregar 150 cestas básicas, 150 kits de higiene pessoal, 100 garrafões de água de 20 litros e 180 frangos aos moradores, adquiridos com apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), do Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática.

Leia mais: No Amazonas, 20 municípios estão em situação de emergência e 35 em alerta, aponta boletim

__

Por July Barbosa

Revisão textual: Vanessa Santos

Foto: Divulgação

📲 Receba no seu WhatsApp notícias sobre a política no Amazonas.

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -