24.3 C
Manaus
quarta-feira, abril 17, 2024

Candidato à presidência de extrema-direita é preso após alegar fraude eleitoral no Paraguai

Paraguayo Cubas ficou em terceiro lugar nas eleições presidenciais do último domingo, 30/4; ele alega que houve fraude eleitoral, por esse motivo, ele e os manifestantes exigiam uma recontagem de votos

Por

O candidato à presidência do Paraguai pelo partido de extrema-direita, Cruzada Nacional, o Paraguayo Cubas, foi preso na noite dessa sexta-feira, 5/5, após liderar protestos contra o resultado das eleições presidenciais, com manifestantes alegando fraude. De acordo com o jornal ABC, ele é alvo de cinco acusações: perturbação da paz pública, ameaça de atos puníveis, tentativa de interrupção das eleições presidenciais, tentativa de coerção a órgãos constitucionais e resistência. O ato ocorreu pela manhã nas ruas da capital Assunção.

Cerca de 100 pessoas se reuniram em frente à sede do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral paraguaio. Paraguayo Cubas ficou em terceiro lugar nas eleições presidenciais do último domingo, 30/4. A alegação é que houve fraude eleitoral e, por isso, eles exigem uma recontagem de votos.

Cerca de 500 policiais foram destacados ao local para evitar depredações. Os agentes realizaram um bloqueio parcial na Avenida Eusebio Ayala para evitar congestionamentos e facilitar a atuação.

A polícia apreendeu vários porretes e pedaços de pau que estavam com os manifestantes. Até mesmo um arco e flecha foi apreendido pelas forças policiais.

As eleições do último domingo consagraram Santiago Peña, candidato do governista Partido Colorado, que teve 43% dos votos. Sua vitória consolidou o poder da direita no Paraguai, dando força à legenda para renegociar o contrato do fornecimento de energia da Usina de Itaipu com o Brasil.

Peña derrotou Efraín Alegre, do Partido Liberal, que ficou em segundo lugar, com 27% dos votos, à frente de Cubas.

Onda de protestos

O Paraguai se soma a uma série de países que enfrentaram protestos logo após suas eleições presidenciais, com apoiadores de candidatos derrotados alegando fraude eleitoral e pedindo recontagem de votos. No continente americano, soma-se aos Estados Unidos, que, em janeiro de 2021, foram palco de uma violenta invasão ao Capitólio, sede do Poder Legislativo, por parte dos apoiadores do republicano Donald Trump, que concorria à reeleição.

Em 8 de janeiro deste ano foi a vez de o Brasil ser palco de violentos ataques contra os principais prédios dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, por parte dos eleitores do ex-presidente Jair Bolsonaro (, que também concorria à reeleição.

Leia mais: OMS anuncia fim da emergência sanitária por Covid após 3 anos

 

Da Redação com informações da CNN

Fotos: Divulgação / Cesar Olmedo / Reuters

Imagens: C9N

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -