27.3 C
Manaus
sexta-feira, maio 24, 2024

Garimpeiros atacam indígenas Yanomami e deixam um morto e dois feridos em Roraima

Conflito ocorreu no sábado, 29/4, um dos indígenas foi baleado na cabeça e não resistiu aos ferimentos; já os feridos foram levados à capital Boa Vista

Por

Desde o início do ano, o conflito entre os povos indígenas da Terra Yanomami (TIY) e os garimpeiros que trabalham de forma irregular, em Roraima, tem se tornado intenso e nesse sábado, 29/4, mais um confronto foi registrado e um indígena, de 36 anos, morreu e outros dois, de 24 e 31, foram baleados por garimpeiros na comunidade Uxiu. Os dois feridos foram removidos à capital Boa Vista na manhã do domingo, 30/4.

As três vítimas foram baleadas por garimpeiros que atuam na região, conforme informou o presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi-YY), Júnior Hekurari Yanomami. Eles foram socorridos por equipes que atuam em Surucucu, unidade mais próxima a Uxiu, onde há um ponto de referência em saúde, por volta das 15h30 do sábado.

Ferido gravemente na cabeça, Ilson Xiriana chegou à unidade desacordado, não resistiu e morreu às 5h33 desse domingo. Ele atuava na região como agente indígena de saúde (AIS). 

“A equipe de saúde trabalhou muito a noite inteira. Ele teve cinco paradas cardíacas, foi reanimado, mas na madrugada não aguentou e morreu. Os outros dois foram levados para Boa Vista”, disse Hekurari.

Os garimpeiros, segundo as primeiras informações recebidas por Hekurari, chegaram à comunidade Uxiu e abriram fogo. “Alguns estavam encapuzados”, afirmou ele, com base no relato de um dos feridos.

O secretário de Saúde Indígena – órgão ligado ao Ministério da Saúde, Weibe Tapeba, disse ter acionado os ministros responsáveis por questões indígenas para apurar o caso.

“Tomamos conhecimento já na manhã de hoje, que entre os três feridos, um indígena veio a óbito. O mesmo era agente indígena de saúde. Estamos em contato com a Ministra Nísia Trindade, Ministra Sônia Guajajara e a presidente da Funai, Joênia Wapichana para tratar do caso. Os ministros Flávio Dino e de Direitos Humanos, Silvio Almeida, também já foram acionados”, informou Tapeba via seu perfil no Instagram.

Além disso, segundo Hekurari, o corpo de Ilson Xiriana também foi transportado à capital para que a Polícia Federal possa fazer perícia.

Garimpeiros na Terra Yanomami

Alvo há décadas de garimpeiros ilegais, a Terra Yanomami, maior território indígena do Brasil, enfrentou nos últimos o avanço desenfreado da atividade ilegal no território. Em um ano, a devastação chegou a 54%.

A presença de garimpeiros leva ao território a destruição ambiental, insegurança, causa conflitos armados e impacta, principalmente, na saúde dos indígenas. Atualmente, o território enfrenta uma grave crise sanitária e humanitária devido ao avanço do garimpo ilegal e desassistência do governo federal, com dezenas de indígenas doentes com malária, desnutrição e verminose.

Na tentativa de frear e combater o avanço do garimpo, o governo do presidente Lula (PT) deflagrou uma operação conjunta contra os invasores. Dentro do território, agentes do Ibama, Funai, Força Nacional e PF atuam com ações de enfrentamento, queimando aeronaves e apreendendo materiais de suporte para a vasta logística de garimpeiros.

Enquanto isso, também são feitos atendimentos de saúde aos indígenas doentes. Esses atendimentos ocorrem dentro do território, com equipes que atuam no polo de Surucucu, no Hospital de Campanha, em Boa Vista, e também nos hospitais públicos infantil e adulto, quando os casos se agravam.

Leia mais: Em pronunciamento oficial, Lula anuncia novo salário mínimo e aumento da base para o IR

 

Da Redação com informações g1

Foto: Divulgação / Júnior Hekurari

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -