28.3 C
Manaus
domingo, junho 23, 2024

‘Quem renega a política está renegando a própria vida’, afirma Serafim Corrêa em entrevista ao O Convergente

Na entrevista, o parlamentar falou sobre reeleição, incentivos à permanência do modelo econômico da Zona Franca de Manaus (ZFM), da criação de novas matrizes econômicas para o Estado e de formas para explorar a especificidades de cada município, das eleições e de alianças políticas em 2022, saúde, bem como de sua trajetória na vida pública e de aposentadoria

Por

O deputado estadual e candidato à reeleição pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Serafim Corrêa (PSB), participou do quadro “Debate Político, do Portal O Convergente, dessa terça-feira, 13/9. Serafim Corrêa já foi vereador e prefeito de Manaus, e agora busca o terceiro mandato como deputado estadual nas eleições deste ano.

Na ocasião, o parlamentar também teve a oportunidade de falar sobre reeleição, incentivos à permanência do modelo econômico da Zona Franca de Manaus (ZFM), da criação de novas matrizes econômicas para o Estado e de formas para explorar as especificidades de cada município, bem como das eleições e de alianças políticas em 2022, saúde, e sua trajetória na vida pública.

Ao explicar sobre sua carreira pública e política, destacando que desde que era estudante tem participado direta e ativamente, Serafim Corrêa disse que a “vida pública só tem porta de entrada”, pontuando que mesmo sem cargos eletivos é possível dar sua colaboração para a melhoria da população, e quando se entra na política, seja ela partidária ou não, é um “caminho sem volta”.

“Você entra na vida pública e a vida pública só tem porta de entrada, ela não tem porta de saída. Você nunca mais sai da política, você pode até não ter mandato, mas você sempre está participando, porque a política é a vida, é a nossa vida, e a cidadania se consolida através da política. Quem renega a política, ele está renegando a própria vida, porque ele não vai conseguir influenciar nas políticas públicas para melhorar a qualidade de vida do povo”, disse Serafim.

Sobre as eleições deste ano, o deputado disse que está diferente e silenciosa e que o eleitor está observando cada candidato, sem anunciar em quem vai votar. Ainda na entrevista, o deputado falou da aliança com Ricardo Nicolau (Solidariedade), da indicação de Cristiane Balieiro (PSB) como sua vice, e do apoio ao Partido dos Trabalhadores (PT), com a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.

“Eleição silenciosa. O eleitor está olhando, ele está observando, o que ele vai fazer eu não sei, ninguém pode dizer que sabe. Nós temos pesquisas de institutos respeitados que dão a sinalização, mas eu confesso que não sei se a sinalização das pesquisas é esta mesma, ou se o eleitor, pelo o que eu observo calado do jeito que está e eu só posso falar de Manaus, e em Manaus o eleitorado está calado, eu não sei qual a mensagem que ele está passando, isso nós vamos aguardar quando abrirem as urnas”, pontuou o parlamentar afirmando que já há uma certeza por parte do eleitorado quanto a escolha de presidente, mas os demais cargos estão ainda sem definição.

ZFM e novas matrizes econômicas – Quanto à Zona Franca de Manaus, Serafim Corrêa disse que não há como abrir mão deste modelo que gera mais de 120 mil empregos diretos e 500 mil indiretos no Estado. Além de apontar que são necessárias melhorias na internet, na redução da conta de energia que é muito cara, implantação da emergia solar e eólica, melhoria dos portos, redução no diesel e do transporte para o desenvolvimento do Amazonas.

“O Amazonas não pode abrir mão da Zona Franca de Manaus. Não tem outro modelo capaz de gerar 120 mil empregos diretos e 500 mil indiretos. Não há, nas prateleiras de projetos do mundo, qualquer outra possibilidade. Agora entendo que nós precisamos melhorar nossa infraestrutura progressivamente e depender menos da Zona Franca de Manaus. Hoje a nossa dependência é total”, ressaltou Corrêa.

Serafim Corrêa também defendeu que a BR-319 (Manaus-Rondônia) precisa ser feita como uma estrada-parque, observando as questões ambientais e também de que não se pode ter vicinais, moradores, próximos respeitar a passagens de animais, postos de serviços, além de monitoramento entre os municípios do Careiro e Humaitá.

Quanto à questão das novas matrizes econômicas, Serafim defendeu que é necessário analisar o que cada município tem a ofertar e explorar de forma a alavancar a economia destes municípios, como o gás natural no Campo do Azulão, entre os municípios de Silves e Itapiranga, que inclusive pode gerar energia até o linhão de Tucuruí e atrair investimentos. Além de defender a bioeconomia, com a exploração correta da floresta.

Cartilha do Fundeb – Ao falar de seus feitos na Aleam, o deputado disse que ganhou a inimizade de todos os prefeitos do interior do Amazonas, pois alertou aos educadores que eles poderiam receber verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) quando produziu a “Cartilha do Fundeb”. Serafim ressaltou que os prefeitos “escondiam” essa informação dos professores.

Fim de carreira – Durante a entrevista, Serafim Corrêa também disse que esta será sua última disputa a cargos eletivos e que na próxima ele já terá 80 anos, afirmando que não terá mais o mesmo vigor de agora.

“Eu entendo que com 80 anos você tem que cuidar dos bisnetos. Não adianta você querer ser herói. Agora eu entendo que com 80 anos eu não terei o pique que ainda tenho. Com 80 a coisa já pesa mais”, finalizou Corrêa.

 

—–

Por Edilânea
Fotos/Ilustração: Marcus Reis

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -