27.3 C
Manaus
quinta-feira, abril 18, 2024

Em visita a Manaus, Cabo Daciolo, foi o entrevistado do quadro ‘Debate Político’, do O Convergente

A entrevista, ocorrida nesta segunda-feira, 20/6, contou também com a participação dos pré-candidatos pelo PDT ao Governo do Estado e ao Senado, Carol Braz e Luiz Castro, respectivamente. Na ocasião, os entrevistados falaram sobre eleições, o cenário político e as propostas do partido para o Estado e para o país

Por

“Esse papo de esquerda e de direita é uma grande mentira”. Disse o ex-deputado federal, Cabo Daciolo (PMB), durante entrevista no quadro “Debate Político”, do Portal O Convergente, dessa segunda-feira, 20/6, ao citar o embate “vendido” pelo ex-presidente Lula (PT) e pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Segundo Daciolo, que deve ser anunciado como pré-candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro nos próximos dias, a luta dos dois não é o “do bem contra o mal” e sim “do mal contra o mal”.

Pela primeira vez no Amazonas, Daciolo veio ao Estado participar de eventos em apoio a pré-candidata ao Governo do Amazonas, Carol Braz e do pré-candidato ao Senado, Luiz Castro, que também participaram da entrevista. Na ocasião, foram debatidos temas relacionados as eleições deste ano, o cenário político nacional e estadual, além de religião e política.

“Me coloquei a disposição do PDT para somarmos, para estarmos juntos, para construir um projeto nacional de desenvolvimento. Nessa construção que já existe. Então eu vim para dar apoio a todos os pré-candidatos do PDT de forma nacional. Tanto para a Carol, como governadora, como para o Luiz Castro, como senador. Me alegra muito conhecer essas pessoas, porque nos visualizamos o potencial dessas pessoas. O potencial de transformação dessas pessoas”, disse Daciolo ao falar sobre a motivação de sua vinda ao Amazonas.

Ele, que já declarou apoio ao pré-candidato à presidência Ciro Gomes (PDT), também falou sobre as motivações que o levaram a desistir de sua pré-candidatura à Presidência e a decisão de apoiar Ciro.

“Eu fui fazer uma visita no Ceará para um amigo, e ao chegar tive a oportunidade de estar com Ciro em um momento bem delicado. Foi quando nós batemos um papo sobre o espírito santo. Ciro Gomes verbalizou Jesus Cristo como salvador e libertador da vida dele e eu voltei para o Rio de Janeiro determinado, como uma ordem divina, que eu não viria mais como candidato à presidência e estaria dando o meu voto para o Ciro Gomes”, explicou Daciolo ao citar também a pouca visibilidade que o antigo partido teria nas propagandas políticas para explanar as propostas.

No decorrer da entrevista Daciolo falou sobre a situação política e econômica do país, como as questões envolvendo o reajuste de combustíveis; sobre as eleições de 2018, quando concorreu à presidência; e sobre o envolvimento dos políticos no meio religioso.

“Jesus nunca teve religião. Deus nunca teve religião. Quando eu comecei a ler a bíblia eu descobri que a cúpula da igreja evangélica, com raras exceções, na verdade está comercializando a palavra. Jesus nunca pediu dinheiro. Falar de Jesus, não é religião, falar de Jesus é amor. Infelizmente essa base política que cerca Bolsonaro está muito longe de Jesus Cristo”, opinou.

O ex-deputado disse, ainda, que o sistema hoje representado pelo presidente Bolsonaro, não é diferente do que foi seguido pelo ex-presidente Lula.

“Existe algo em comum entre eles, que são os banqueiros. O dinheiro da nação não fica na nação. Esse governo atua para o mercado internacional, assim como Lula sempre atuou também. Por isso fica essa polarização. Por isso que fica essa discussão entre os dois. Eles alegam que é uma briga entre o bem e o mal. Esse papo de esquerda e de direita é uma grande mentira, eu costumo dizer, porque enquanto o povo está se digladiando, entre esquerda e direita, entre Lula e Bolsonaro, nós estamos vivendo inimizades dentro dos lares de pessoas que já sentaram nessas cadeiras e não fizeram nada”.

Governo e Senado – Os temas envolvendo as ações políticas nacionais também foram pautas discutidas entre Carol Braz e Luiz Castro, além da movimentação política atualmente na pré-campanha para as Eleições de 2022.

Braz, entre outros pontos, falou sobre a importância de caminhar com nomes como o de Luiz Castro e Daciolo, e sobre o que tem visto e ouvido nas viagens que tem feito pelo interior do Amazonas.

“A gente tem sentido a energia do povo. A gente percebe a esperança. De que a gente consiga mudar a história. Hoje a população amazonense se vê em uma condição de só acreditar que só existem os políticos tradicionais e quando descobrem que existe sim, uma alternativa ao Governo, dizem que vão apostar”, afirmou.

Já o pré-candidato ao Senado Luiz Castro também falou sobre os aspectos sociais vistos na população do Estado e sobre as pesquisas eleitorais já divulgadas no cenário do Amazonas.

“Eu vejo tudo com muita esperança. As pesquisas ainda não colocam nem a mim e nem a Carol na cabeça, mas é natural. A Carol acabou de se tornar conhecida e tem sido muito bem recebida por onde passa. Eu passei praticamente três anos e meio afastado, tirando um período sabático. Pensando até em largar a política de tão desanimado que fiquei com o cenário político do nosso Estado e também no país”, disse ele ao falar sobre alguns aspectos econômicos, políticos e sociais no Amazonas.

Os dois também trataram de temas voltados para a economia do Estado e ações necessárias para garantir melhorias na Educação, na Saúde e diversos aspectos sociais para a população do Amazonas.

Desistência Ciro – As especulações em torno da possível desistência de Ciro Gomes à Presidência da República também foi algo debatido na entrevista. O que foi negado por Daciolo, ao afirmar que Ciro, não só seria pré-candidato como chegaria ao segundo turno e seria eleito o presidente da República.

“Ciro Gomes é o caminho. O Ciro Gomes é pré-candidato. Ele tem total apoio do Cabo Daciolo, da Carol e do Luiz. E é bom frisar aqui que o PDT é Ciro Gomes. Nós acreditamos. É solução, verdade, mudança e sem sombra de dúvida ele é pré-candidato e vai continuar sendo”, afirmou.

“Ele é o único pré-candidato hoje que fala em taxar as grandes fortunas. Aí você pega uma autoridade com pautas sobre isso, que quer fazer esse debate. Aí você pega os dois que querem fazer o bem e o mal, que na verdade é o mal e o mal, mas não querem ir para o debate falar de nação. Eles estão preparados para atacar um ao outro. Estão preparados para continuar entregando a nossa nação para o mercado estrangeiro”, completou Daciolo ao criticar as ações feitas por Lula e Bolsonaro.

Confira a entrevista:

Confira as fotos da entrevista:

 

 

— —

Por Izabel Guedes

Fotos: Marcos Reis

Fique ligado em nossas redes

spot_img

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -