30.3 C
Manaus
quarta-feira, junho 12, 2024

Garimpeiros que atuam no Rio Madeira serão cadastrados pela prefeitura de Novo Aripuanã

O anúncio foi feito pelo prefeito do município, Jocione Souza, durante uma reunião com os garimpeiros para discutir a situação das famílias que atuam no segmento

Por

No último final de semana o prefeito de Novo Aripuanã, Jocione Souza (PSDB), se reuniu com garimpeiros do município para discutir a situação das famílias que atuam no segmento e fazer uma proposta para legalização da extração de ouro no Rui Madeira. No município, o garimpo representa 30% da economia de Novo Aripuanã.

De acordo com o prefeito, a proposta é dialogar com o governo Estadual e Federal para que haja a liberação do garimpo e para isso as famílias envolvidas no segmento precisam estar organizadas.

“Convocamos as famílias, os proprietários de balsas, para se cadastrarem e no diálogo com o governo estadual e federal podermos chegar a um entendimento da liberação do garimpo”, explicou o prefeito.

No dia 1º de dezembro, houve uma reunião com a bancada parlamentar do Amazonas em Brasília para discutir essa questão. Na ocasião, participaram da reunião presidida pelo senador Omar Aziz  os prefeitos de Novo Aripuanã, Humaitá, Dedei Lobo; o prefeito de Borba, Simão Peixoto; e o vice-prefeito de Manicoré, Paulo Sérgio.

“Em Novo Aripuanã o garimpo responde por até 30% da economia do município, gera dezenas de empregos que envolve até 200 famílias. São pais e mães que sustentam suas famílias do extrativismo”, detalhou o prefeito Jocione.

O desdobramento da reunião rendeu um requerimento na Câmara e Senado federal e serão realizadas audiências públicas nos quatro municípios envolvidos para que a população seja ouvida e a situação fique mais transparente para o governo.

No dia 7 de janeiro, as audiências serão em Humaitá e Manicoré e, no dia 8 de janeiro, em Novo Aripuanã e Borba.

Situação – De acordo com o prefeito, muitas das famílias instaladas no Madeira atuam no garimpo de ouro há mais de 40 anos.  “As balsas instaladas no Madeira, na maioria das vezes, não são apenas um local de trabalho, mas um local de moradia para as famílias. Por isso, envolve famílias que estão há mais de 40 anos trabalhando nessa atividade”, afirma.

A questão da exploração de ouro na região do Rio Madeira já resultou na operação da Polícia Federal e Forças Armadas. No total, pelo menos 131 balsas utilizadas pelos garimpeiros foram apreendidas ou destruídas.

— —

Da Redação com informações da assessoria de imprensa

Foto: Divulgação

Fique ligado em nossas redes

Você também pode gostar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

Últimos Artigos

- Publicidade -